FIFA quer estender contratos dos jogadores por causa do coronavírus

Num documento que a Reuters teve acesso, o organismo que gere o futebol mundial defende os contratos que terminem a 30 de junho possam ser prorrogados até às novas datas de final de época, em julho ou agosto.

Os contratos dos jogadores e treinadores que terminam a 30 de junho devem ser automaticamente prorrogados se for necessário as competições se prolongarem para os meses de julho e agosto por causa da paragem originada pela pandemia de covid-19.

Esse é, pelo menos, o teor de um documento interno da FIFA, a que a agência Reuters teve acesso, e que foi apresentado ao Grupo de Trabalho criado para estudar da crise originada pelo coronavírus.

O documento confidencial recomenda ainda que seja alterada a janelas de transferências seja alterada de acordo com as novas datas da temporada e incentiva clubes e jogadores a trabalharem juntos para encontrar soluções para pagamentos salariais durante a paragem das competições.

O documento será discutido pelos membros do Grupo de Trabalho da FIFA ainda esta quinta-feira, mas ainda não há uma decisão definitiva sobre estes problemas que se encontram em cima da mesa.

A FIFA criou este Grupo de Trabalho no dia 18 de março e disse, em comunicado, que ele "avaliará a necessidade de emendas ou dispensas temporárias dos Regulamentos da FIFA sobre o estatuto e transferência de jogadores, por forma a proteger os contratos e ajustar período de inscrição de jogadores".

A maioria das competições nacionais e internacionais de futebol em todo o mundo foram suspensas devido à pandemia, bem como o Euro 2020 e a Copa América, que foram adiados por um ano.

As federações nacionais esperam retomar os respetivos campeonatos quando baixar o nível de ameaça do vírus, embora ainda não estejam definidas datas concretas. É por essa razão que se coloca a questão do termo dos contratos, que geralmente terminar no final das temporadas, a 30 de junho.

Assim, a principal sugestão feita ao grupo de trabalho é que o final desses contratos sejam prorrogados até às novas datas para o final da temporada.

Este facto implicaria ainda um adiamento da abertura do mercado para depois de terminadas todas as ligas domésticas. "No caso de sobreposição de temporadas ou de períodos de inscrição de jogadores, e a menos que todas as partes concordem de outra forma, será dada prioridade ao ex-clube para concluir sua temporada com a equipa original, a fim de salvaguardar a integridade dos campeonatos nacionais", pode ler-se no documento citado pela Reuters.

Também o pagamento das transferências entre clubes, programados para as datas de início e finais de campeonatos, também deve ser adiado até ao início da nova temporada ou até ao seu primeiro período de registo, diz também o documento, que incentiva clubes, jogadores e treinadores a trabalharem juntos para chegar a acordo sobre redução de salários ou diferimentos durante o período de paragem das competições.

É ainda recomendado que a FIFA use o recém-criado "Fundo para Jogadores Profissionais" para ajudar a aliviar as dificuldades financeiras que os clubes estão a enfrentar.

Finalmente, as janelas de transferência, fixadas no final e no início das temporadas, também vão precisar de ser ajustadas às datas de alteração da temporada. Nesse sentido, o documento sugere que as alterações sejam permitidas, desde que não excedam o período máximo de 16 semanas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG