Fernando Santos: "Portugal continuará a ser uma das grandes equipas do mundo"

O selecionador garante que a partida desta terça-feira na Croácia é "para ganhar" apesar de a seleção já saber que acaba o grupo da Liga das Nações no segundo lugar. Nem haverá tentação de pensar no recorde de Ronaldo...

O selecionador nacional Fernando Santos recusou esta segunda-feira a ideia de que tenha jogado para o empate no passado sábado, no Estádio da Luz, com a França, cuja derrota por 1-0 determinou o afastamento da equipa das quinas da fase final da Liga das Nações.

"Respeito todas as críticas, mas não tenho de concordar com elas. Essa é uma análise que não é séria. Se Portugal jogasse para empatar, se calhar não teria jogado como jogou", disse, lembrando o que aconteceu no Euro 2016. "Jogámos com uma primeira base de não sofrer golos e depois surpreender no contra-ataque. Era uma estratégia de acordo com as nossas características. A partir de um determinado momento, as características dos jogadores mudaram e Portugal passou a jogar de outra forma, mas com o mesmo pensamento, explicou.

O técnico nacional assume que a forma de jogar da equipa das quinas "manteve a filosofia de ganhar todos os jogos, procurando o ataque em posse, construindo jogadas e tirando proveito das características dos jogadores". "Isto tem tido resultados muito bons, fomos campeões da Liga das Nações e fizemos jogos de enorme qualidade, partindo da premissa de que somos capazes de mandar no jogo. Nunca disse aos meus atletas para jogar em contra-ataque ou que o 0-0 era bom resultado", vincou, para depois deixar um desabafo: "Se calhar, devia tê-lo feito. A verdade é que não fomos capazes de fazer o que tínhamos planeado. Houve mérito da França e algum demérito nosso, mas nunca nos passou pela cabeça jogar para empatar."

Fernando Santos deixou claro que todos na seleção ficaram "muito chateados" com a derrota, deixando uma garantia: "Esta equipa era, é e vai continuar a ser uma das grandes equipas do mundo, por quem todos os adversários têm um enorme respeito."

Apesar da tristeza que a derrota com a França provocou, o selecionador assume que esta terça-feira (19.45 horas), em Split, com a Croácia, é preciso "transportar a capacidade de resposta dos jogadores, para mostrar que não foi mais do que um acidente de percurso". E, nesse sentido, apesar Portugal já ter o destino traçado no grupo 3 da Liga das Nações (segundo lugar), Fernando Santos assume que "os jogadores estão completamente focados e com uma grande vontade de vencer, contra um grande adversário".

Fernando Santos admitiu que poderá aproveitar a partida com os croatas para fazer "algumas alterações", tendo em conta a sobrecarga de jogos de alguns atletas: "Vamos fazer alterações para a manter a equipa forte e para ganhar o jogo." "Não vou revelar o onze que vai jogar. A minha ideia é ganhar frente a um adversário de enorme qualidade, que é vice-campeão do mundo. Não tenho 11 titulares e outros que estão aqui para compor o ramalhete, tenho 22 jogadores de grande qualidade e acredito em todos", frisou.

Cristiano Ronaldo está a oito golos de se tornar o melhor marcador da história das seleções, mas o selecionador nacional recusa a ideia de que a equipa vai aproveitar este jogo na Croácia para jogar para o recorde do capitão. "Num jogo oficial, ninguém vai pensar em dar a marcar ao Cristiano. Nem ele gostava que isso acontecesse. Se calhar, num jogo particular, haveria essa vontade, mas neste caso é impossível. Ele vai marcar quando tiver que marcar, e os jogadores têm é que fazer o suficiente para ganhar", garantiu.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG