Fernando Gomes: "Não estavam reunidas as mínimas condições para se realizar o Euro 2020"

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol esclareceu que a decisão de adiar o Campeonato da Europa visa "defender a saúde de todos".

Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), esclareceu esta terça-feira, numa mensagem publicada no site oficial do organismo, que "não estavam reunidas as mínimas condições" para que o Euro 2020 se realiza-se na data prevista, pelo que considera que o adiamento do torneio para o próximo ano "responsabilidade e consciência do que é prioritário" .

O líder federativo que a FPF defendeu na reunião com a UEFA "a saúde de todos", pois não podia colocar-se "todos aqueles que gostam de futebol em perigo". Nesse sentido, esclareceu que "esta decisão também vai defender melhor - a curto, médio e longo prazo - jogadores e clubes europeus".

Eis a mensagem de Fernando Gomes na íntegra:

"A decisão de adiar o Euro 2020 revela sentido de responsabilidade e consciência do que é prioritário neste momento.

Todos queríamos jogar o Euro 2020 e todos temos noção da importância vital desta competição na sustentabilidade financeira do futebol europeu, mas entendemos que não estavam reunidas as mínimas condições para a prova se realizar.

A nossa posição visou, essencialmente, defender a saúde de todos. Não poderíamos deixar que todos os que gostam de futebol ficassem em perigo exatamente por essa paixão que têm ao futebol.

No voto unânime favorável à decisão da UEFA em adiar a competição para 2021, prevaleceu acima de tudo o espírito solidário e a convicção de que era fundamental criar condições para a conclusão dos campeonatos nacionais.

Sabemos, por outro lado, que esta decisão também vai defender melhor - a curto, médio e longo prazo - jogadores e clubes europeus. A data que ficou definida para realizar o Euro, entre 11 de junho e 11 de julho de 2021, poderá constituir um espaço vital para tomar decisões em relação às competições nacionais e europeias de clubes que estão interrompidas e que temos a esperança de poder retomar e finalizar. Sabemos que quanto mais depressa estes agentes recuperarem destes efeitos mais depressa recuperará o futebol.

Renovo assim o meu apelo a que todos continuemos a seguir as indicações das autoridades de forma a podermos amenizar os efeitos desta pandemia.

Juntos seremos mais fortes."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG