FC Porto venceu oito dos últimos nove clássicos caseiros com o Sporting

O FC Porto ostenta uma supremacia total nos jogos caseiros com o Sporting para a I Liga portuguesa, com 46 triunfos, em 84 jogos, o que dá uma percentagem superior a 50%.

À luz da estatística do histórico, os dragões têm precisamente 54,8% de hipóteses de vencer o encontro que no sábado fecha o campeonato, o único resultado que lhes pode valer a revalidação do título, também dependente de um desaire em casa do Benfica perante o Santa Clara.

Numa retrospetiva apenas dos últimos nove anos, a percentagem de favoritismo do FC Porto sobe, exponencialmente, para 88,9%, uma vez que, desde 2009/2010, os azuis e brancos venceram oito encontros.

A única exceção, neste período, é o triunfo do conjunto leonino por 3-1, em 2015/16, na primeira de três temporadas sob o comando de Jorge Jesus. O Sporting seria vice-campeão, com 86 pontos, a dois dos 88 do Benfica, de Rui Vitória.

Em 30 de abril de 2016, os verdes e brancos venceram com dois tentos do argelino Slimani, aos 23 e 44 minutos, e um do brasileiro Bruno César, aos 85, enquanto o mexicano Herrera marcou para os portistas, aos 35, de grande penalidade.

De resto, e nas últimas nove épocas, só se registaram vitórias do FC Porto, quatro tangenciais, três por dois golos e um por três.

O avançado colombiano Radamel Falcao foi o protagonista em 2009/10, ao marcar o golo solitário do encontro (1-0), logo aos três minutos, e também em 2010/11, com um bis, aos 27 e 50 minutos, na vitória por 3-2.

Na época seguinte (2011/12), brilhou o avançado brasileiro Hulk, ao apontar os dois golos do encontro (2-0), o primeiro de grande penalidade, já aos 82 minutos, e o segundo aos 89.

Os dragões repetiram a dose em 2012/13, com tentos dos colombianos Jackson Martínez e James Rodríguez (penálti), e ganharam por 3-1 em 2013/14, num triunfo selado por Josué, em mais um penálti, o brasileiro Danilo e o argentino Lucho.

Em 2014/15, brilhou, a solo, o espanhol Cristian Tello, presentemente no Betis, que conseguiu um hat-trick, com golos aos 31, 58 e 82 minutos.

Depois de seis derrotas consecutivas, o Sporting venceu por 3-1, em 2015/16, mas o FC Porto respondeu de pronto, triunfando por 2-1, com um bis do brasileiro Soares, em estreia pelos portistas, proveniente do Vitória de Guimarães.

Na época transata, os dragões voltaram a ganhar por 2-1, agora com tentos do central espanhol Marcano, na primeira parte, e do médio argelino Brahimi, na segunda, contra um do miúdo Rafael Leão, quase sobre o intervalo.

Face à supremacia total nos últimos anos, os portistas reforçaram ainda mais a vantagem no histórico das receções aos leões para o campeonato, somando agora mais 32 vitórias (46 contra apenas 14) e 66 golos, estando a um dos 150 (149-83).

A vantagem portista no clássico foi construída logo desde os primeiros jogos, com um triunfo por 4-2 em 1934/35, seguido da maior goleada de sempre (10-1).

O melhor período dos dragões aconteceu entre 1976/77 e 95/96, com 13 vitórias e sete empates, em 20 jogos, sendo que, nos últimos 21 anos, só perderam duas vezes (14 triunfos e cinco igualdades).

Por seu lado, o Sporting teve os seus melhores momentos entre 1959/60 e 64/65, com quatro vitórias e duas derrotas, e entre 1971/72 e 75/76, período de cinco anos em que se manteve invicto (dois triunfos e três empates).

O clássico entre FC Porto e Sporting, a contar para a 34.ª e última jornada da I Liga portuguesa de futebol de 2018/19, está marcado para sábado, às 18:30, no Estádio do Dragão, no Porto.