Eliud Kipchoge é o primeiro atleta a correr a maratona em menos de duas horas

Queniano completou os 42,2 quilómetros em 1:59:40. Prova realizou-se em Viena, na Áustria, este sábado de manhã.

"Incrível", escreve a imprensa internacional. Eliud Kipchoge acabou de bater recorde da maratona ao conseguir fazer um percurso de 42,2 quilómetros em menos de duas horas no desafio Ineos 1:59 em Viena. É o primeiro homem a conseguir fazê-lo na história do atletismo.

Assim que passou a meta, Kipchoge comemorou com a multidão, a família - a mulher, Grace, os filhos estavam à assistir à prova - e com a sua equipa.

"Nós podemos fazer um mundo mais bonito e mais pacífico", reagiu, dizendo ainda que estava feliz por ter na assistência a mulher e os três filhos e por ter feito história perante eles. O queniano disse ainda que quer trazer mais positivismo ao desporto.

"Os recordes existem para serem quebrados, então alguém irá tentar bater este, mas fez-se história. É inacreditável",disse Patrick Sang, treinador de Eliud Kipchoge.

O atleta já tinha tentado bater o recorde em 2017, mas ficou na marca 2:00:25.

"Sinto-me bem, fazer história era o meu objetivo", referiu o queniano, recordando o feito do britânico Roger Bannister, que, em 1954, foi o primeiro atleta a correr a milha (1,60934 metros) em menos de quatro minutos.

"Fez-se história outra vez, 65 anos depois. Roger Bannister entrou na história em 1954 e passados 63 anos comecei a tentar e não tive logo sucesso", realçou Kipchoge, aludindo à tentativa em 06 de maio de 2017, no circuito automobilístico de Monza, quando falhou o objetivo por 26 segundos.

O queniano, de 34 anos, vencedor de 10 maratonas, entre as quais de Chicago, Londres e Berlim, disse esperar ser apenas o primeiro a alcançar este registo.

"Sou o homem mais feliz do mundo, por ter conseguido correr em menos de duas horas e poder inspirar muitas pessoas, para dizer que o ser humano não tem limites. Espero que haja mais atletas a conseguir baixar das duas horas a partir de hoje", rematou.

"Uma inspiração", diz treinador

Sang reagiu com emoção ao feito do atleta. "Ele inspirou-nos a todos e mostrou que podemos ir além dos nossos limites na vida. Fizeste história", disse também, dirigindo-se ao seu atleta.

"Tudo esteve perfeitamente certo. No desporto, é um desafio para os atletas mais jovens. Para a humanidade, seja em que nível estejamos podemos passar sempre para o próximo nível", frisou.

"Os recordes existem para serem quebrados, então alguém irá tentar bater este, mas fez-se história. É inacreditável", disse Patrick Sang, treinador de Eliud Kipchoge.

A marca alcançada hoje não será homologada pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF), por vários motivos, entre os quais o de Kipchoge ter corrido sozinho, atrás de um carro "corta-vento" e marcador de tempo [pacer] e constantemente "escoltado" por 41 atletas de topo, que cumpriram a missão de "lebres" por turnos.

Kipchoge cumpriu quatro vezes um circuito plano de 9,9 quilómetros a um ritmo constante de dois minutos e 50 segundos por quilómetro, ou seja, a uma velocidade de 21 quilómetros por hora.

Além de simbólico, o desafio INEOS 1.59, patrocinado pelo gigante da petroquímica liderado britânico Jim Ratcliffe, foi também um enorme evento mediático.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG