Eder em definitivo no Lokomotiv Moscovo

Avançado de 30 anos estava emprestado pelo Lille, mas o campeão russo resolveu agora contratar o herói do Euro 2016. Português mostra-se feliz por ir disputar a Liga dos Campeões

O avançado internacional português Eder foi nesta segunda-feira oficializado como futebolista do Lokomotiv Moscovo, equipa em que jogou por empréstimo dos franceses do Lille e ao serviço da qual se sagrou campeão na Rússia, tendo inclusivamente marcado o golo decisivo.

"O avançado português Eder assinou um contrato permanente com o Lokomotiv. Na última época, o futebolista jogou na nossa equipa por empréstimo", refere o clube russo na sua página oficial, sem indicar a duração do vínculo.

"Estou muito feliz de associar o meu futuro ao Lokomotiv. A primeira vez na Rússia foi duro, outra cultura, outro futebol, mas uns meses depois estava completamente adaptado e apaixonei-me pela Rússia", disse o jogador.

Eder, que se vai juntar ao estágio da equipa na Áustria, falou também de representar o Lokomotiv na Liga dos Campeões, e das boas relações que tem com jogadores, entre os quais o também português Manuel Fernandes.

O jogador, de 30 anos, não esteve no Mundial, sendo preterido nos convocados pelo selecionador Fernando Santos.

No Europeu de 2016, no qual Portugal conquistou em Paris diante da França o título, Eder foi o autor do golo da vitória na final, já no prolongamento.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.