Drones vigiam festa do Benfica

PSP tem preparado o dispositivo de segurança para o caso de o Benfica se sagrar campeão nacional: vigilância aérea, revistas junto ao Marquês de Pombal e os elementos do Corpo de Operações Especiais de prevenção.

A PSP vai utilizar drones para vigiar os festejos do Benfica na praça do Marquês de Pombal, local para onde vão convergir os adeptos do clube - e os jogadores - caso a equipa profissional de futebol conquiste este sábado o título de campeão nacional.

Além do recurso a este tipo de vigilância - que permite seguir a movimentação dos apoiantes do clube na zona da festa -, o DN sabe que a polícia vai controlar os acessos à zona do Marquês e criar zonas de revista a quem quiser chegar junto da rotunda, o local onde os futebolistas e familiares são esperados pelas 24.00, já depois da entrega da taça no Estádio da Luz.

O esquema de segurança previsto para o caso de o Benfica se sagrar campeão - basta um empate com o Santa Clara no jogo que disputa no Estádio da Luz a partir das 18.30 deste sábado pois mesmo que o FC Porto vença o Sporting e iguale os encarnados no primeiro lugar da classificação a equipa lisboeta tem vantagem no desempate - prevê a colocação de barreiras de cimento nas vias de acesso ao Marquês e o reforço da segurança com os elementos do Corpo de Operação Especiais e da investigação criminal que terão como missão tentar evitar roubos e atos de vandalismo.

Também o Grupo de Operações Especiais desta força de segurança estará de prevenção.

No caso de vitória da equipa treinada por Bruno Lage - será o 37.º título do principal campeonato de futebol nacional conquistado pelo Benfica - os festejos começam no estádio com a entrega da taça ao capitão de equipa, Jardel ou André Almeida, e seguem depois para o Marquês de Pombal com um desfile por algumas ruas de Lisboa num autocarro aberto. Na praça será montado um palco onde os atletas continuarão a festa enquanto os adeptos ocuparão a rotunda.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.