Cristiano Ronaldo falta mesmo à gala da FIFA

Avançado português da Juventus está entre os três finalistas ao prémio The Best, mas não marca presença em Londres

Confirma-se a ausência anunciada de Cristiano Ronaldo na gala da FIFA que esta segunda-feira atribui o prémio de melhor futebolista do ano. O capitão da seleção portuguesa concorre ao troféu juntamente com o egípcio Mohamed Salah e com o croata Luka Modric, considerado o favorito para vencer esta noite.

A notícia da ausência de Ronaldo começou a ser avançada já na noite de domingo pela Sky Sports italiana e confirma-se agora no Royal Festival Hall de Londres, onde o atacante da Juventus não marca presença. Tal como, de resto, o argentino Lionel Messi, que pela primeira vez em 12 anos não faz parte dos três finalistas a um prémio de melhor do mundo.

O jogador do Barcelona alegou motivos familiares para não acudir à cerimónia, em Londres, enquanto o português não estará alegadamente por razões desportivas, pretendendo concentrar-se no jogo que a Juventus tem na próxima quarta-feira frente ao Bolonha, em jornada da Série A italiana.

Segundo o jornal Marca, a ausência dos dois craques que têm dominado os prémios na última década não caiu bem junto da FIFA, com o jornal a citar fonte do organismo a referir que Messi e Ronaldo "estão a desprestigiar o futebol" ao não marcarem presença na gala em Londres: "Prejudicam o desporto e prejudicam-se a eles próprios."

A ausência de Ronaldo é vista como um forte sinal de que o prémio The Best de 2018 deverá ser entregue a Luka Modric, médio da seleção croata e do Real Madrid que já venceu o prémio de melhor do ano para a UEFA, numa cerimónia que também não contou com a presença de Ronaldo, que se sentiu injustiçado com a decisão.

Desde a criação do prémio, em 2016 - após o fim da parceria entre a FIFA e a France Football na atribuição da Bola de Ouro -, o The Best só teve Ronaldo como vencedor, nas duas primeiras edições. Se o português não vencer esta segunda-feira, será a primeira vez desde 2008 que o melhor do mundo não será Cristiano Ronaldo ou Lionel Messi.

Modric e Salah, esses sim, marcam presença.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG