Conselho de Arbitragem não gostou da atuação do VAR no clássico e pode haver castigo

A notícia é avançada pela edição online do jornal O Jogo, que garante, contudo, que para já não existe qualquer castigo para o árbitro Fábio Veríssimo, que estava na função de VAR e tomou a decisão de anular o golo a Pizzi.

De acordo com a edição online do jornal O Jogo, o Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) não gostou da atuação do vídeoárbitro Fábio Veríssimo e do assistente André Campos no clássico entre o Benfica e o FC Porto da Taça da Liga, que terminou com a vitória dos dragões (3-1). O jogo ficou marcado pelo golo anulado a Pizzi em cima do intervalo, vai ficar afastado algumas semanas da função de VAR e terá presenças limitadas nos próximos jogos da I Liga.

O Jogo, citando uma fonte do CA da FPF, avança que tanto Veríssimo como Campos possam vir a sofrer consequências, ou seja, serem afastados algum tempo como castigo pela má atuação. A mesma fonte, contudo, garante que para já nada está ainda decidido, já que o Conselho de Arbitragem pretende ouvir primeiro os visados e ter acesso às comunicações feitas durante o jogo entre o árbitro Carlos Xistra e o VAR que estava na Cidade do Futebol, em Oeiras.

No final do jogo, Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, não calou a sua revolta em relação a Fábio Veríssimo, queixando-se em particular do fora de jogo que o VAR assinalou a Rafa Silva no lance do golo anulado a Pizzi, perto do intervalo, que na altura daria o 2-2 ao Benfica. "Um homem destes, com não sei quantas câmaras, não vê que não é fora de jogo. Esse homem não pode apitar mais!", disparou Vieira. Já esta quarta-feira, através de uma newsletter disponível no site oficial, o Benfica voltou a criticar a arbitragem.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG