Nacional afunda Desp. Chaves com bis de Rochez

Um bis do avançado hondurenho permitiu ao Nacional somar este domingo uma clara vitória, por 2-0, sobre o lanterna-vermelha, na 14.ª jornada da I Liga

Com o triunfo, os madeirenses subiram ao 12.º lugar, com 16 pontos, enquanto os flavienses ainda não venceram sob o comando de Tiago Fernandes, que somou a terceira derrota consecutiva, seguindo no último lugar, com sete pontos.

O ponta de lança Rochez foi o homem do jogo, ao apontar os dois golos da sua equipa, o segundo dos quais numa grande penalidade.

Apesar de um mau início de jogo, a primeira ameaça pertenceu ao Nacional, por Rochez, mas a defesa flaviense afastou.

Aos 25 minutos, o árbitro apontou para a marca de grande de penalidade, a favor do Chaves, considerando ter havido falta de Nuno Campos sobre Paulinho, na área, mas acabou por reverter a decisão após recorrer ao videoárbitro.

O Nacional, sempre mais perigoso e rápido que o adversário, criou novo lance de perigo, aos 33 minutos, num cabeceamento de Júlio César, com a bola a sair junto do poste da baliza contrária.

De tanto insistir, o Nacional chegou à vantagem, aos 35 minutos: cruzamento de Marakis, na esquerda, intercetado por Witi, que tocou de forma subtil para Rochez fazer o desvio, batendo o desamparado Ricardo.

Ainda antes do intervalo, aos 43 e 45, houve dois lances perigosos para o Chaves. No primeiro, Platiny surgiu na área do Nacional pela direita, mas perdeu tempo, rematando cruzado, mas ao lado. No segundo, após cruzamento de Niltinho, Platiny cabeceou para defesa de Daniel Guimarães.

O Nacional também teve uma boa oportunidade para ampliar a vantagem antes do intervalo, aos 45+2 minutos, com Witi a isolar-se, mas a permitir a defesa de Ricardo.

Na segunda parte, o jogo perdeu alguma qualidade, mas o Nacional aumentou a vantagem, aos 75 minutos, numa grande penalidade a punir mão de Avto na área flaviense.

Na cobrança, Rochez enganou Ricardo, atirando para o lado contrário para o qual se atirou o guarda-redes do Chaves.

O Chaves apenas reagiu aos 81 minutos, mas Bressan atirou ao lado, após assistência de Avto.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.