Com decisões à vista, rumores de castigo a PSG e City aumentam

Alegada violação do Fair Play Financeiro pode excluir as equipas da Liga dos Campeões e obrigar a vender jogadores. Jornal As diz que a decisão do TAS será tomada dentro de poucos dias

Aumentam os rumores de que Manchester City e Paris Saint-Germain podem ver-se obrigados a vender algumas das suas maiores estrelas, devido a castigos aplicados por alegadas falhas relativamente ao Fair Play Financeiro da UEFA. O jornal As relata que o organismo que regula o futebol europeu não está satisfeito com a falta de colaboração dos clubes e que o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) poderá revelar as suas decisões dentro de poucos dias.

Segundo o jornal espanhol, a UEFA considera mesmo que os dois clubes poderão ter recorrido ao que diz ser "doping financeiro". A investigação está a cargo do ex-primeiro-ministro belga Yves Leterme, que já teve um papel nas sanções financeiras impostas aos clubes, o que Gianni Infantino, presidente da FIFA, terá considerado suficiente.

No entanto, Leterme não estará satisfeito e tem luz verde do presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, numa atitude algo confrontacional perante Infantino. Assim, e perante a visão de que são necessários castigos mais pesados, entre estes poderá estar a proibição de competir na Liga dos Campeões do próximo ano. Tais medidas poderão levar os clubes a sentir a necessidade de vencer craques de classe mundial, como Neymar, Mbappé, Cavani, Sterling, Sané ou De Bruyne.

Recentemente, Nasser Al Khelaifi, presidente do PSG, entrou no Comité Executivo da UEFA, o que não foi bem visto por todos, que veem conflito de interesses em toda a situação" Segundo Javier Tebas, presidente da Liga espanhola, a nomeação viola "todas as regras razoáveis de boa governação".

O As recorda ainda a a isenção de Yves Leterme pode ser essencial para a aplicação, caso o investigador assim o defina, de castigos em conformidade com as alegadas irregularidades. Como exemplo mais recente existe Kimberly Morris, advogada que, ao serviço da FIFA, castigou o Chelsea. Antes, trabalhou na Proteção de Menores no Canadá.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG