Chelsea está a ser investigado por mais de cem transferências de menores

FIFA quer saber se o clube londrino quebrou as regras. Blues arriscam ficar impedidos de registar jogadores.

O Chelsea está em maus lençóis. Segundo jo jornal The Guardian, os blues estão a ser investigados pela FIFA por causa de abordagens a menores e podem mesmo ser impedidos de registar jogadores. Em causa estão mais de uma centena de transferências internacionais de jogadores menores de idade. O organismo que rege o futebol mundial quer saber se o clube violou as regras de tranferências de menores.

O caso remonta ao início de 2017, altura em que o registo de transferências internacionais, o TMS (Transfer Matching System) detetou 25 casos com potenciais irregularidades. A situação deu origem a uma ação do Comité Disciplinar da FIFA, que obrigou o Chelsea a mostrar os registos e explicar várias contratações.

Ainda segundo o jornal inglês, o Chelsea sustenta a sua defesa no facto de a maior parte dos casos se referirem a jogadores que estiveram a treinar à experiência na academia e que acabaram por não assinar contrato. E que aqueles que assinaram estavam em conformidade com as regras.

É que os menores de 18 anos só podem ser objeto de uma transferência internacional no caso de os pais os acompanharem ou se o novo clube estiver sedeado a 50 quilómetros da fronteira do país de origem. A exceção diz respeito a transferências de menores entre os 16 e os 18 anos em países da União Europeia ou do Espaço Económico Europeu.

Sgundo o The Guardian tudo começou por causa de Bertrand Traoré, de Burkina Faso - atualmente no Lyon. O jogador foi contratado em 2014, em janeiro, após fazer 18 anos. No entanto, a FIFA recebeu fotos dele a jogar pelo Chelsea contra o Arsenal em outubro de 2011, quando ainda tinha 16 anos.

Esra já não é a primeira vez que o clube londrino é acusado de práticas pouco éticas na contratação de menores. Em 2007, 2016 e 2017 também foram alvo de investigação.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG