Casas de jogadores do Benfica vandalizadas com grafitis ameaçadores

DN sabe que um ou dois jogadores dos encarnados viram as casas vandalizadas na noite em que o autocarro da equipa principal foi apedrejado. PSP já está a investigar. Benfica condena ataque ao autocarro: "Responsáveis destes atos criminosos, verdadeiros delinquentes, devem ser erradicados do futebol"

Um ou dois jogadores do Benfica viram as casas vandalizadas com grafitis ameaçadores na madrugada desta sexta-feira, avançou o Expresso e confirmou o DN.

Uma das casas vandalizadas terá sido a de Pizzi, podendo ler-se "Pizzi filho da p... 'tás avisado". Segundo a RTP, também as residências de Bruno Lage e Rafa foram vandalizadas. Fonte da Polícia de Segurança Pública confirmou à agência Lusa que a PSP já está a investigar o caso e que entre os suspeitos podem estar elementos das claques do Benfica devido ao teor das mensagens.

Este incidente ocorreu horas depois de o autocarro da equipa principal ter sido apedrejado na A2 quando regressava ao Seixal, após o empate a zero com o Tondela no Estádio da Luz.

No final do jogo a comitiva encarnada dividiu-se em dois autocarros para voltar ao centro de treinos onde têm estado em estágio, quando um dos veículos foi apedrejado. Os estilhaços atingiram o sérvio e o alemão. Segundo fonte do Benfica, Zivkovic é o jogador que revela mais preocupações, uma vez que terá sido atingido numa vista por estilhaços.

No caso de Weigl o incidente fez reviver o trauma vivido em abril de 2017 quando o autocarro do Borussia Dortmund sofreu um atentado à bomba. O alemão fazia parte do plantel do clube alemão que foi alvo de um ataque quando seguia para o Estádio Signal Iduna Park, onde deveria jogar com o Mónaco nos quartos-de-final da Champions.

"O Benfica repudia e lamenta o criminoso apedrejamento de que foi vítima o autocarro dos seus jogadores à saída da A2, quando se dirigia para o Centro de Estágios do Seixal, no final do jogo frente ao Tondela, realizado na noite de quinta-feira no Estádio da Luz.. Informamos que, por uma questão de precaução, os jogadores Julian Weigl e Zivkovic, de imediato, foram levados ao Hospital da Luz para serem observados, na sequência dos estilhaços que os atingiram", comunicou o clube da Luz, garantindo "total colaboração com as autoridades" no "no sentido de identificar os delinquentes responsáveis por estes atos criminosos".

"Delinquentes que devem ser erradicados do futebol"

Já esta sexta-feira o clube voltou a condenar o ataque. "Infelizmente a noite também ficou marcada pelo cobarde e criminoso ato de apedrejamento de que foi alvo o autocarro que transportava os nossos jogadores", pode ler-se na newletter diária do Benfica, que lembra outras situações idênticas, como a que vitimou um adeptos quando um autocarro de adeptos do Benfica foi apedrejado no regresso a Barcelos, após um Benfica-Sp. Braga na Luz.

"Em todos estes casos, sem exceção, importa e exige-se que as autoridades atuem com o máximo rigor, e identifiquem e punam os responsáveis destes atos criminosos, verdadeiros delinquentes que devem ser erradicados do futebol e que mancham a imagem de todos os clubes sem exceção", pediu o clube encarnado que os responsáveis pelo apedrejamento "devem ser punidos de uma forma exemplar".

No plano desportivo, "falhada a oportunidade de passarmos para a liderança isolada do Campeonato, exige-se agora uma resposta imediata da equipa, com a ambicionada vitória na difícil deslocação a Portimão na próxima quarta-feira, 10 de junho". Pois "o regresso aos triunfos é fundamental" para alcançar o bicampeonato.

Liga repudia, PSP investiga

Também a Liga já repudiou o ataque "cobarde" às águias. "É absolutamente inaceitável que acontecimentos como estes continuem a ter espaço na sociedade, sendo fundamental deixar claro que os autores destes atos não são adeptos de futebol, mas sim criminosos", lamentou em comunicado, o organismo presidido por Pedro Proença, lembrando que sucede numa altura em que "o futebol português uniu esforços para retomar uma atividade que faz vibrar milhões de pessoas no nosso País".

A PSP já confirmou a "pedrada" ao autocarro dos encarnados, embora ressalvando que não foi possível identificar o autor ou autores do crime. Fica a incógnita sobre a autoria do ataque, se adeptos do clube descontentes com o empate desta quinta-feira, adeptos rivais ou um incidente isolado sem ligação clubística. O caso será alvo de um inquérito crime por parte do Ministério Público.

O apedrejamento do autocarro do Benfica marca assim o regresso da I Liga, após paragem de quase três meses devido à pandemia do covid-19. Um regresso sem público nas bancadas por imposição da Direção Geral da Saúde, embora os adeptos do FC Porto e do Benfica tenham ido ao local do jogo da sua equipa para manifestar apoio na luta pelo título.

Os momentos que antecederam o jogo com o Tondela, nomeadamente a chegada do autocarro da equipa ao Estádio da Luz, já tinham sido marcados por alguma tensão entre adeptos encarnados e a polícia. Estes incidentes podem comprometer o desejo dos clubes de ter adeptos nos estádios nos jogos que faltam para acabar o campeonato.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG