Cantona e o pontapé a adepto em 1995: "Devia ter-lhe dado com mais força"

Antigo avançado francês do Manchester United falou numa conferência sobre o episódio que lhe valeu um castigo de nove meses e deu a sua opinião sobre o momento de José Mourinho no clube inglês: "Não é o homem certo para a mulher certa".

Eric Cantona esteve quinta-feira à noite na cidade inglesa de Nottigham, numa conferência onde fez várias revelações (falou de José Mourinho) e contou muitos episódios da sua carreira. A agressão a um adepto do Crystal Palace, em janeiro de 1995, quando representava o Manchester United, e que lhe custou nove meses de suspensão, foi provavelmente o caso mais famoso que protagonizou. E por isso Cantona recordou-o.

"Devia ter-lhe dado com mais força", atirou, arrancando várias gargalhadas da plateia presente na conferência. "Claro que devia ter evitado aquilo, mas sou um ser humano. Não me arrependo, porque acho que os nossos atos numa determinada altura acontecem porque algo aconteceu. Aquele golpe de kung-fu ajudou-me a crescer. Fui levado a tribunal e depois os advogados do clube disseram-me que tinha de falar com a imprensa, a mesma imprensa que me destruiu e perseguiu por todo o lado. Porque haveria de ter de falar com eles? Eles insistiram que eu tinha de dizer qualquer coisa e eu respondei ok, eu digo. Se isso os deixava mais felizes... por isso disse aquela frase na altura: "Quando as gaivotas seguem um barco é porque pensam que vão atirar sardinhas ao mar."

Ao seu estilo, o antigo avançado do Manchester United e da seleção francesa falou sobre o atual momento do Manchester United, tendo expressado a sua opinião sobre o treinador José Mourinho: "Não é o homem certo para a mulher certa."

Ainda assim, o gaulês de 52 anos deixou alguns elogios ao técnico português, de quem se confessou admirador, mas insistiu que Mourinho não é a pessoa indicada para o cargo, devido ao estilo de jogo. "Podes perder jogos mas correres riscos. Perdeste com a Juventus e eles tiveram 70% de posse de bola em Old Trafford. Imaginarias isso com Alex Ferguson no banco? Eu sofro. E sofro ainda mais quando vejo o Manchester City a jogar tão maravilhosamente. Mas eu penso que as crianças precisam de ter um exemplo. Eles precisam de grandes jogadores, grandes jogadas e de futebol criativo para se identificarem com um jogador ou uma equipa. Penso que o Manchester United está a perder uma geração de jovens jogadores, que se identificam mais com a forma do City jogar. Podemos aceitar isso? Não", explicou.

Sobre o homem certo para substituir Mourinho, Cantona deu a entender que a solução pode estar num ex-jogador do Manchester United, sem referir um nome em particular. "Vemos Zidane, que era um ex-jogador do Real Madrid e nunca tinha orientado uma equipa antes, tornar-se treinador do Real Madrid. Guardiola fez o mesmo no Barcelona, Antonio Conte na Juventus e Carlo Ancelotti no AC Milan. Todos eles eram ex-jogadores nesses clubes e foram-lhes dadas oportunidades. No United, nunca dão uma oportunidade a um jogador que conheça o clube por dentro, que conheça a identidade e a filosofia do clube".

Questionado sobre os Glazers, família norte-americana proprietária do clube, também foi taxativo: "Não sei se percebem alguma coisa de futebol."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG