Bruno Lage responde aos comentários de Jesus: "Ainda estou a começar"

Antigo treinador das águias disse que o Benfica tem condições para chegar à Liga Europa, Lage respondeu que ainda está a fazer o seu caminho. Seferovic é baixa contra o Belenenses SAD.

Bruno Lage, treinador do Benfica, comentou este domingo as declarações de Jorge Jesus, que disse que o benfica tem todas as condições para ultrapassar a eliminatória com o Dínamo Zagreb e chegar á final da Liga Europa.

"É a opinião de um grande treinador, experiente, que já ganhou muito. Eu ainda estou a começar e vou fazendo o meu caminho. E tem sido assim desde o início. Jogo a jogo, treino a treino e fazendo a melhor gestão possível do plantel", referiu Lage, durante a conferência de imprensa de lançamento do jogo desta segunda-feira com o Belenenses SAD.

O treinador benfiquista confirmou o avançado Seferovic é baixa para o jogo desta segunda-feira, depois de se ter lesionado na partida da Liga Europa com o D. Zagreb. Mas não revelou quem vai jogar no lugar do suíço. "O "Seferovic não está disponível. Quando se troca de jogadores temos de viver do que oferecem às dinâmicas da equipa. Não vou dizer quem vai jogar, mas o mais importante é o que construímos enquanto equipa e potenciar o que cada jogador oferece", referiu.

Bruno Lage abordou ainda a situação de Jonas, que nos últimos tempos não tem sido convocado. "O Jonas mantém o mesmo estatuto de imprescindível mas temos de fazer a gestão. Se tem de jogar, joga, se tem de ficar no banco fica, se tem de ficar de fora dos convocados fica. Todos têm de treinar bem para jogar, para estarem preparados quando forem chamados. Por isso dou muito valor ao treino", referiu.

O triunfo sobre o FC Porto, na última jornada, permitiu ao Benfica assumir a liderança do campeonato. Mas para o técnico dos encarnados nada mudou, lembrando que faltam jogar 10 finais. "São dez jogos que ambas as equipas têm, tal como o Sp. Braga e o Sporting. Ainda há muitos pontos em disputa e nós levamos muito em consideração aquilo que são os jogos finais e as equipas que parecem mais acessíveis, mas que depois são as mais difíceis. As equipas que estão a lutar pela permanência estão a lutar pela vida e dão tudo. Vão ser jogos muito competitivos, todos têm de dar o seu melhor. E nós queremos chegar ao fim destas dez finais na mesma posição", expressou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG