Águia voltou a levantar voo quando as asas se tocaram

Sociedade Rafa & Pizzi construiu os dois golos que desbloquearam um jogo que estava complicado e finalmente o Benfica bateu o Belenenses SAD de Silas (0-2)

O Benfica igualou este sábado o recém-promovido Famalicão na liderança da I Liga e já sabe que vai terminar a 2.ª jornada à frente dos principais rivais - resta saber qual a distância pontual para FC Porto e Sporting -, mas bem pode (voltar) agradecer à sociedade Rafa & Pizzi, especialista em engenharia do golo.

Num jogo que estava complicado, em que os avançados Seferovic e Raul de Tomas estavam a sentir algumas dificuldades em acertar na baliza, a asa direita (Pizzi) e a asa esquerda (Rafa) tocaram-se e a águia levantou voo ao fim de quase uma hora de jogo (59'). Depois de Rafa ter recuperado uma bola junto à área do Belenenses SAD, tabelou com Pizzi dentro da cabine telefónica em que estava transformada a área dos azuis, encontrou uma nesga de espaço e atirou para o fundo das redes.

Mais de meia hora depois, já após Seferovic ter visto um golo ser-lhe anulado com recurso ao videoárbitro, Rafa devolveu o favor a Pizzi e o capitão do Benfica neste sábado - na ausência de Jardel e André Almeida - apontou o golo da tranquilidade (90+2'), depois de uma boa resposta da formação da casa ao 0-1.

Já tinha sido assim no encontro da Supertaça diante do Supertaça, voltou a sê-lo no Jamor. A parceria entre os dois internacionais portugueses entrou em ação e assim se construiu a primeira vitória benfiquista sobre o Belenenses SAD de Silas, que nos três confrontos anteriores como o encarnado venceu uma vez e empatou duas.

Desta vez, não houve antídoto, ou pelo menos com a validade que o antigo médio ofensivo desejara. A equipa por si liderada entrou a mandar no jogo durante os primeiros 15 minutos, a olhar o campeão nos olhos e a assumir um futebol apoiado, de pé para pé, nem sempre objetivo mas pelo menos com o mérito de esconder a bola de um Benfica que não precisa de muito tempo com ela para marcar em doses bem servidas.

Apesar do domínio azul no quarto de hora inicial, os homens de Bruno Lage foram sempre os mais perigosos, tendo acrescentado gradualmente posse de bola e domínio territorial às ocasiões de que ia dispondo. Perante um sistema de três centrais do Belenenses SAD, a equipa da Luz tentou fazer mossa através dos espaços nas costas da defesa contrária e na zona cinzenta entre a linha defensiva e média da formação da casa, onde iam aparecendo as quatro unidades mais ofensivas.

As oportunidades iam-se sucedendo, mas o golo tardava em chegar. O primeiro demorou quase uma hora, o segundo surgiu mais de 30 minutos depois. Desta vez o Benfica não ganhou 5-0, mas colocou um ponto final na malapata Silas e conseguiu a 10.ª vitória consecutiva fora de portas no campeonato. Bruno Lage, que este sábado repetiu o mesmo onze que goleou o Paços de Ferreira há uma semana, somou a 20.ª vitória em 21 jogos na I Liga. Bem mais preocupado deverá estar o homólogo do Belenenses SAD, que ainda não marcou em jogos oficiais esta época, depois de ter sido derrotado em casa pelo Santa Clara pela margem mínima na Taça da Liga e de ter empatado a zero em Portimão no arranque do campeonato.

A figura: Rafa Silva

Após ter explodido (finalmente) com a camisola do Benfica na temporada passada, ao apontar 21 golos em todas as competições, o Speedy González da Luz está também a ter um arranque de época muito interessante. Depois de um golo e duas assistências frente ao Sporting na Supertaça, redimiu-se da noite não tão conseguida frente ao Paços de Ferreira, com um golo e uma assistência no triunfo sobre o Belenenses SAD.

A exibição do antigo extremo de Feirense e Sp. Braga, porém, não se esgota nos números. As arrancadas no ataque à profundidade nas costas da defesa adversária e as combinações bem-sucedidas com companheiros em espaços reduzidos onde abundavam homens de azul geraram algumas das principais situações de perigo até ao primeiro golo aparecer.

E quando à qualidade individual que tem se junta a uma parceria fantástica com alguém com o talento de Pizzi e à liberdade de movimentos concedida pelo treinador, tudo se torna mais fácil.

Veja aqui os golos

59': Rafa (0-1)

90+2': Pizzi (0-2)

Ficha de jogo

Jogo realizado no Estádio Nacional, em Oeiras.

Belenenses SAD - Benfica, 0-2.

Marcadores: 0-1, Rafa, 58 minutos; 0-2, Pizzi, 90+2.

- Belenenses SAD: Koffi, Calila, Gonçalo Silva, Kau (Faraj, 79), Francisco Varela (Chima, 56), André Santos, Nuno Coelho, Licá, Lucca, Matija e Kikas (Nico Velez, 63).

Treinador: Jorge Silas.

- Benfica: Vlachodimos, Nuno Tavares, Rúben Dias, Ferro, Grimaldo, Florentino Luís, Samaris, Pizzi (Taarabt, 90+3), Rafa, Raúl de Tomás (Chiquinho, 74) e Seferovic (Vinicius, 90+3).

Treinador: Bruno Lage.

Árbitro: Fábio Veríssimo (AF Leiria).

Disciplina: cartão amarelo para Lucca (4), Kau (35), Nuno Tavares (39), Kikas (50), Matija (65), André Santos (68), Licá (83), Calila (90+5).

Assistência: Cerca de 16.000 espetadores.