Bruno Lage: "Não vamos fazer o João Félix um super-herói"

O treinador do Benfica estava "satisfeito" com o triunfo de 4-2 sobre o Eintracht e falou sobre João Félix: "Vai ter uma bonita carreira. Acredito que possa continuar entre nós por muitos mais anos", disse.

Bruno Lage, treinador do Benfica, destacou a "boa exibição" da sua equipa no triunfo sobre o Eintracht Frankfurt, por 4-2, na primeira mão dos quartos-de-final da Liga Europa e aproveitou para colocar água na fervura nas análises a João Félix.

"Fizemos uma boa exibição e um resultado que nos deixa satisfeitos. A nossa forma de trabalhar é esta. Treinar da melhor forma os nossos jogadores e estudar o adversário. Por vezes as coisas correm bem e têm corrido muitas vezes bem. Hoje, a nossa intuição era essa, para aproveitar os espaços. O Gedson era o nosso jogador mais importante. Exemplo disso é o lance do primeiro golo, que deu o penálti."

Sobre João Félix: "Não vamos fazer do João Félix um super-herói. Há três dias perguntavam se ele estava em baixo de forma. Trata-se de um miúdo fantástico. É o jogador mais jovem a fazer um hat-trick, não lhe colocámos pressão nenhuma. Que jogue o jogo dele e que saiba crescer. Estamos convictos de que vai ter uma bonita carreira. Acredito que possa continuar entre nós por muitos mais anos."

Sobre o jogo: "O momento mais determinante para deixar de ter a nossa dinâmica foi a lesão de Corchia. Gedson teve de recuar. O que existe é correr muito. Os jogadores têm sido fantásticos nisso. Rafa, João Félix, Cervi e Gedson correram muito, pressionaram e não permitiram que o adversário jogasse em largura. É correr com organização, determinados, jogar em equipa a atacar e a defender."

Samaris: "A minha vontade é ficar no Benfica"

O grego Samaris foi um dos melhores jogadores do Benfica e admitiu que a "vantagem de dois golos é sempre um bom resultado, mas podia ter sido maior". "Tudo depende de nós, do que formos capazes de fazer na Alemanha, no jogo da segunda mão. Esta é só a primeira parte da eliminatória."

"Não sei se este é o melhor Samaris desde que está no Benfica, sei é que jogando, o meu entrosamento com os meus colegas é maior e tudo se torna mais fácil. Estou muito contente por poder ajudar a equipa, pelos meus companheiros e pelo 'mister', que me deu oportunidade de jogar", acrescentou, antes de falar sobre a sua renovação de contrato: "Todos sabem que a minha vontade é ficar no Benfica, mas vamos ver o que vai dar."

Sobre João Félix, Samaris destacou que o avançado "conseguiu o que poucos, mais ainda tratando-se de um miúdo, num jogo dos quartos de final de uma competição europeia". "É bom ver cada miúdo da formação que chega à equipa principal para realizar o seu sonho. O João conseguiu o que poucos conseguem."

Adolf Hütter: "Foi um resultado menos mau para nós"

Adolf Hütter, treinador do Eintracht Frankfurt, admitiu que o jogo da próxima semana "vai ser duro". "Neste primeiro jogo venceu o Benfica. Daqui uma semana vai ser um jogo duro. Houve um cartão vermelho que foi contra a corrente do jogo. Foi um resultado menos mau. Dois golos deixam tudo em aberto para o jogo da segunda mão."

"Já sabíamos que iríamos defrontar uma equipa muito forte. Há 15 jogos que não perdíamos. Estamos a viver um sonho. Queremos levá-lo até ao fim. Estava curioso de ver como seria o jogo 11 contra 11. Estávamos a perder por 4-1 e ainda conseguimos fazer o segundo golo. Estivemos perto de fazer o terceiro golo. Estou convencido que em casa podemos vencer o Benfica", concluiu.

O treinador dos alemães admitiu que "João Félix teve bons movimentos" e "causou muitas dificuldades" à sua equipa. "É um jogador com bom toque de bola e com bons movimentos. O Benfica não é só um jogador, há outros que podem marcar. Se o conseguirmos anular será menos um problema. É um talento raro para o futebol português e para o Benfica. Se continuar a jogar assim não vai continuar no Benfica por muito tempo", concluiu.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG