Vendaval leonino no Jamor com show de Bruno Fernandes

O Sporting aplicou a segunda maior goleada da época, ao despachar o Belenenses SAD por 8-1 no Estádio Nacional. O capitão voltou a brilhar com o primeiro hat-trick da carreira e até Bas Dost picou o ponto no regresso após quase dois meses parado.

Um Sporting arrasador destruiu por completo o Beleneneses SAD com uma goleada por 8-1, num jogo que deixa os leões ainda a sonhar com a possibilidade de chegar ao segundo lugar, embora para isso tenha de ganhar os seus jogos com o Tondela e no Dragão e esperar que o FC Porto perca no próximo domingo na Madeira, com o Nacional.

Não é uma tarefa fácil, mas o jogo deste final de tarde no Jamor confirma a boa forma da equipa de Marcel Keizer, que surge fresca nesta fase final de temporada em que ainda tem a final da Taça de Portugal para disputar, precisamente diante dos portistas no relvado onde aplicou a segunda maior goleada do campeonato, apenas superada pelos 10-0 do Benfica ao Nacional na 21.ª jornada.

E como explicar esta goleada do Sporting? Os leões entraram na partida a fazer uma pressão muito alta, com os seus jogadores muito rápidos sobre a bola, o que bloqueou por completo a estratégia do adversário. Já se sabe que Jorge Silas, treinador dos azuis, exige que a sua equipa saia a jogar com a bola controlada desde a sua área, mas quando não se tem jogadores com qualidade técnica para fazer esse tipo de jogo, correm-se muitos riscos.

Muriel Becker desastrado acaba expulso

Os primeiros sinais do jogo foram claros. As perdas de bola do Belenenses SAD no seu meio campo começaram desde cedo a permitir ao Sporting chegar facilmente a zonas de finalização. E o primeiro golo surgiu logo aos onze minutos num erro crasso de Muriel Becker que quis jogar com os pés e colocou a bola em Raphinha, que não facilitou e abriu o marcador.

O guarda-redes dos azuis estava a ter um início de jogo horrível e pouco depois completou a tarde desastrada com um derrube a Raphinha ainda fora da área. Muriel foi expulso e deixou a sua equipa à mercê do Sporting, pois se as saídas para o ataque já não eram muitas, a partir desse momento tornaram-se uma raridade.

Ainda assim, nada fazia prever o descalabro até porque o segundo golo leonino só apareceu em cima do intervalo, em mais um erro inadmissível. A equipa de Jorge Silas não estava concentrada e permitiu que um lançamento lateral de Acuña encontrasse Bruno Fernandes, que deu um toque para Luiz Phellype para marcar o seu sétimo golo no campeonato e o quinto nos últimos cinco jogos.

No segundo tempo, um erro de Cristián Borja permitiu ao Belenenses SAD reentrar no jogo com o golo de Licá, mas se o defesa do Sporting teve uma falha, o que aconteceu a partir daí à equipa da casa foi uma sucessão de disparates que custaram a goleada.

Bruno Fernandes faz história

Gudelj fez o 3-1 com um remate que desviou em André Santos e enganou o guarda-redes Guilherme Oliveira, seguiu-se um penálti disparatado de Pierre Sagna, que permitiu a Bruno Fernandes abrir a sua conta pessoal. O capitão do Sporting, que desde o início da partida gozou de uma liberdade que nenhuma equipa pode dar a um jogador desta enorme qualidade, fez o quarto golo após um excelente trabalho de Luiz Phellype.

E logo a seguir entrou Bas Dost, que regressava à competição quase dois meses depois. E que melhor regresso podia ter o holandês? É que na primeira ação que teve no jogo assinou o seu 15.º golo na I Liga. O Belenenses SAD era uma equipa perdida no campo e os jogadores leoninos faziam o que queriam.

Foi já depois de Bas Dost ter atirado ao poste que Bruno Fernandes completou o seu hat-trick, o primeiro da sua carreira profissional, chegando à impressionante marca de 31 remates certeiros na temporada, em todas as competições. O capitão do Sporting chegou aos 19 golos na I Liga e anunciou a sua candidatura ao prémio de melhor marcador da prova, uma vez que está apenas a dois golos do benfiquista Seferovic.

O jogo terminou com o oitavo golo, o primeiro de Idrissa Doumbia de leão ao peito, numa jogada que foi bem a imagem dos azuis nesta partida, uma vez que o Sporting fez o que quis dentro da área até que a bola chegou ao marfinense.

Oito golos só com os Cinco Violinos

O Belenenses SAD somou o oitavo jogo consecutivo sem vencer no campeonato, enquanto o Sporting chegou ao décimo triunfo consecutivo em todas as provas. Mas mais do que isso, a equipa de Marcel Keizer deu uma grande demonstração de poder e de bem jogar, a fazer lembrar os primeiros jogos do holandês à frente da equipa, depois do despedimento de José Peseiro. Para se ter bem a noção da qualidade de jogo dos leões, basta dizer que apenas falharam 38 passes nos 90 minutos, algo que nenhuma outra equipa conseguiu esta época.

Há 52 anos que uma equipa não marcava oito ou mais golos fora de casa no campeonato nacional, mais precisamente desde que o Benfica derrotou o Beira-Mar, em Aveiro, por 9-0, no dia 7 de maio de 1967. Os leões já não marcavam por oito vezes fora de casa desde os tempos dos históricos Cinco Violinos, quando foram a Famalicão vencer por 9-5, em 1946.

Já faltam adjetivos para elogiar o capitão do Sporting. Fez pela primeira vez três golos num jogo, fez uma assistência e, com a sua qualidade técnica e tática, foi a chave para destroçar o adversário, quer com os seus passes teleguiados, quer através de desmarcações nas costas da defesa, aproveitando a movimentação de Luiz Phellype que arrastava os centrais contrários. Por tudo o que Bruno Fernandes demonstra em campo, não é de estranhar que os clubes mais endinheirados da Europa estejam de olho nele. Será quase impossível o Sporting conseguir mantê-lo para a próxima época...

VEJA AQUI OS GOLOS DA PARTIDA

FICHA DO JOGO

Estádio Nacional, no Jamor
Árbitro: João Capela (Lisboa)

Belenenses SAD - Muriel Becker; Gonçalo Silva, Cleylton (Guilherme Oliveira, 24'), Sasso; Pierre Sagna, Jonatan Lucca, André Santos, Eduardo Henrique, Zacarya Bergdich; Diogo Viana (Matija Ljujic, 46'), Licá (Kikas, 72')
Treinador: Jorge Silas

Sporting - Renan Ribeiro; Ristovski, Coates, Mathieu, Cristián Borja; Gudelj, Wendel (Idrissa Doumbia, 66'), Bruno Fernandes; Raphinha (Diaby, 76'), Luiz Phellype (Bas Dost, 75'), Marcos Acuña
Treinador: Marcel Keizer

Cartão amarelo a Raphinha (32'), Wendel (44'), Pierre Sagna (68') e Matija Ljujic (88'). Cartão vermelho a Muriel Becker (21')

Golos: 0-1, Raphinha (11'); 0-2, Luiz Phellype (45'+1); 1-2, Licá (61'); 1-3, Gudelj (64'); 1-4, Bruno Fernandes (70' gp); 1-5, Bruno Fernandes (75'); 1-6, Bas Dost (77'); 1-7, Bruno Fernandes (84'); 1-8, Idrissa Doumbia (90')

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG