O bom Seferovic salvou a liderança

Tondela ameaçou a liderança do Benfica e Bruno Lage partiu a equipa ao meter Seferovic ao intervalo, mas ao mesmo tempo lançou a solução para um problema bicudo. O suíço marcou o golo que mantém 1.º lugar na Luz

A imagem é bastante rudimentar, mas eficaz. Um suíço que entrou e quebrou a dinâmica da equipa resolveu o problema ao líder de um país que dividiu um banco em "mau" e "bom". Marcou o 1-0 final aos 84'. Houve, assim, um Seferovic mau (cortou a corrente ao líder, mas isso é da competência do treinador) e um Seferovic bom (salvador, mesmo). E a liderança mantém-se na Luz.

A questão pôs-se ao intervalo: após uma primeira parte com um punhado de ocasiões (Félix, Rafa, Jonas - Cláudio Ramos teve grande responsabilidade, diga-se), Bruno Lage resolveu esticar o ataque. Tirou o médio mais defensivo (Samaris) e meteu mais um avançado, Seferovic, para se juntar a Félix, Jonas e Rafa - Pizzi passou para um miolo pouco contundente (com Gabriel). E isso teve efeitos perversos, porque meter muitos avançados não gera golos espontâneos.

Aliás, aos 75' (vinte minutos depois da entrada do suíço), o Benfica estava há 60 minutos sem acertar na baliza... E assim se manteve muito tempo na segunda parte. Só nos dez minutos finais o conseguiu. Primeiro, Cláudio Ramos negou um golaço a Jonas, que já tinha bloqueado um remate de Seferovic que levava a direção da baliza.

A liderança estava presa por arames. Não só porque o Benfica não conseguia saltar o muro do Tondela, mas porque os beirões saíram muitas vezes com muito perigo. Murillo foi um foguete e criou o pânico na defesa benfiquista um par de vezes. E o nulo exasperava o ex-líder (FC Porto tinha passado em Braga horas antes...) que queria continuar no 1.º lugar (com os mesmos pontos dos dragões).

Convém voltar à primeira parte. Além das oportunidades de golo, ainda houve um lance em que Carlos Xistra devia ter assinalado penálti a favor do Benfica, por derrube de João Pedro sobre Samaris. Nítido nas imagens menos diversificadas a que o VAR (Helder Malheiro) tem acesso.

Portanto, era esta a herança dos primeiros 45 minutos. Oportunidades suficientes para o Benfica se tranquilizar, mas ameaçado um par de vezes pelo Tondela. Delgado falhou um passe curto para Tomané, que estava a dois metros da baliza...
Intervalo, Seferovic a aquecer. O suíço entrou e a equipa acusou o desgaste emocional do tempo a passar sem golos que dessem oxigénio. Quer dizer, até marcou, num lance "à Jonas". Mas, bem, o lance foi anulado, por mão na bola de André Almeida no início da jogada.

Como tudo na vida, o futebol é muito caprichoso. Adel Taarabt, proscrito em 2016, ainda só tinha jogado pela equipa B - 10 jogos...

E estreou-se num período de grande tensão. Mas até foi o marroquino que num certo período resgatou a equipa das trevas.

Enfim, susto após susto, o Benfica lá reuniu as últimas forças, fortemente apoiado pelos adeptos (quase 60 mil nas bancadas). Mas Jonas e Seferovic não foram capazes de bater Cláudio Ramos. Até que o bom do Seferovic aproveitou o que lhe deram (que foi pouco, sublinhe-se). Grimaldo (7.ª assistência) conseguiu meter a bola entre os centrais e o suíço, sem tirar os pés do chão, cabeceou de forma impecável para as redes.

Suspiros na Luz, mas contidos até ao último apito, porque o Tondela só parou mesmo quando Xistra terminou o encontro. O Benfica segue no 1.º lugar com os mesmos pontos do FC Porto, sendo que agora o 3.º lugar está na posse do Sporting, também em igualdade pontual com o Sp. Braga, mas ambos já a oito pontos da liderança.

Faltam sete atos mais de drama e uma montanha russa de emoções para se saber quem é campeão e quem fica no pódio. E siga a rusga que quarta-feira há dérbi em Alvalade para a 2.ª mão das meias-finais da Taça de Portugal (águias jogam vantagem de 2-1 obtida na Luz).

Figura: Seferovic "bom"

Ao suíço não podem ser assacadas responsabilidades por ter quebrado a corrente à equipa. Isso é uma questão que é da competência de Bruno Lage. Por isso, foi um Seferovic contra a corrente que aliviou o Benfica e o manteve na frente da I Liga.

Não fez muitas coisas boas, mas bastou uma muito boa para ser o homem do jogo. Cruzamento de Grimaldo, bola entre os centrais e o suíço, sem sair do relvado, cabeceou de forma inapelável para o golo decisivo. Regressou de lesão, mas não perdeu a confiança, ele que é o melhor marcador da I Liga, com 16 golos (Bas Dost, Bruno Fernandes e Dyego Sousa somam 14).

Ficha de jogo

Jogo no Estádio da Luz, em Lisboa.
Benfica - Tondela, 1-0.
Ao intervalo: 0-0.
Marcador:
1-0, Seferovic, 84'.

Benfica: Vlachodimos, André Almeida, Rúben Dias, Ferro, Grimaldo, Pizzi (Taarabt, 71), Gabriel, Samaris (Seferovic, 46), Rafa (Jota, 79), João Félix e Jonas.
(Suplentes: Svilar, Corchia, Gedson, Cervi, Taarabt, Jota e Seferovic).
Treinador: Bruno Lage.

Tondela: Cláudio Ramos, David Bruno, Ricardo Costa, Jorge Fernandes, Joãozinho, Bruno Monteiro, João Pedro, Murilo (Pité, 66), Delgado, Xavier (Patrick, 78) e Tomané (Peña, 63).
(Suplentes: Pedro Silva, Moufi, Tembeng, Pité, Peña, João Mendes e Patrick).
Treinador: Pepa.

Árbitro: Carlos Xistra (AF Castelo Branco).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Tomané (36), Bruno Monteiro (81), David Bruno (90), Taarabt (90+2) e Ricardo Costa (90+2).

Assistência: 56.594 espetadores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG