Vinícius, o homem do momento no Benfica

Equipa de Bruno Lage venceu, esta sexta-feira, o Boavista na abertura da jornada 13 da I Liga e manteve a liderança do campeonato. Brasileiro marcou dois dos quatro golos encarnados.

Apesar do susto à beira do intervalo, o Benfica venceu o Boavista na abertura da jornada 13 da I Liga (4-1). Os encarnados prometeram muito com uma entrada forte no jogo, mas não souberam traduzir o domínio em oportunidades de golo flagrantes. Nos primeiros 45 minutos, mesmo com o dobro da posse de bola do adversário, os encarnados só construíram duas oportunidades de golo (não contando um o golo anulado a Pizzi) e só concretizaram uma (golo de Vinícius). As mesmas do Boavista, que à beira do intervalo colocou a equipa de Bruno Lage em sentido. No segundo tempo a história foi outra e mais fácil de contar com três golos sem resposta face a uma equipa axadrezada sem argumentos ofensivos à altura do campeão, que no fim triunfou por 4-1.

De volta ao campeonato, após um empate comprometedor com o Sp. Covilhã na Taça da Liga, Bruno Lage apresentou um onze bastante idêntico à última jornada, com o Marítimo. Com Gabriel disponível (limpou o cartão vermelho visto com o Marítimo na partida da Taça da Liga), o técnico fez apenas uma mudança e forçada. Meteu o jovem Tomás Tavares no lugar do lesionado André e viu a equipa entrar fortíssima no Bessa e a chegar ao golo logo aos dois minutos de jogo. Um belo chapéu de Pizzi a Bracali que não contou. O lance foi ao VAR e depois anulado por for a de jogo do transmontano.

Do lado do Boavista, Lito Vidigal promoveu três entradas na equipa (Marlon Xavier, Obiora e Gustavo Sauer) e pareceu algo surpreendido com a entrada forte do Benfica e chegou defender com uma linha de seis jogadores. Uma resposta ao jogo largo do Benfica - os laterais Tomás Tavares e Grimaldo davam largura ao jogo do Benfica e permitiam aos encarnados chegar à área com perigo.

Os encarnados pressionavam à saída da bola dos pés de Bracali e obrigava as panteras e jogar rápido e sob pressão, potenciando assim perdas de bola aproveitáveis. Foi isso que aconteceu aos 30 minutos quando Chiquinho conseguiu ganhar uma bola e foi para a baliza como uma seta apontado ao alvo. Acabou derrubado à entrada da área por Obiora e ganhou um livre perigo... que Pizzi atirou por cima da barra.

Aos 35 minutos, Vinícius passou da ameaça à concretização. Uma jogada rápida do Benfica, com um fantástico passe longo de Pizzi a lançar o brasileiro, que entrou na área sem pedir licença e sacou um remate potente e cruzado.

Curiosamente (ou talvez não) o Boavista melhorou o seu jogo depois de sofrer o golo e reagiu com mais bola na tentativa de incomodar a linha defensiva encarnada. E conseguiu-o. Quando já se esperava o apito do árbitro para o intervalo a equipa de Lito fabricou um golo com a permissão da defesa encarnada. Marlon Xavier ultrapassou Pizzi e cruzou para o cabeceamento certeiro de Stojiljkovic. A mensagem era clara. O Boavista queria discutir o jogo. Feito o empate, os axadrezados ainda ameaçaram ir para o intervalo a ganhar, mas Vlachodimos sacudiu o perigo e levou o jogo empatado para os balneários.

Outra vez Vinícius

O intervalo deu que pensar a Bruno Lage, que optou por voltar com os mesmos protagonistas. E demorou pouco até as águias voltarem a estar por cima no jogo. Aos 51 minutos Chiquinho obrigou Bracali a excelente defesa e um minuto depois Cervi meteu mesmo a bola na baliza, num lance confuso e validado pelo VAR.

Forte na transição, desta vez o Benfica não deixou o Boavista reagir e matou o jogo. Quem mais se não o homem do momento na Luz para tranquilizar as tropas encarnadas. Um passe errado de uma pantera, que Grimaldo aproveitou para lançar Vinícius, que fez o 3-1 com uma bela finalização. Foi o nono golo do brasileiro nos últimos 9 jogos pelo Benfica e totaliza agora 13 golos na I Liga, menos dois do que Pizzi.

A última meia hora de jogo foi de gestão por parte das águias. Tal como aconteceu no jogo com o Marítimo, Bruno Lage tirou Vinícius para os aplausos. O brasileiro já não assistiu ao golo da redenção de Grabriel, que voltou à equipa após cumprir um jogo de castigo pela expulsão que irritou Lage no jogo com o Marítimo.

A fechar o jogo Carraça ainda testou os reflexos de Vlachodimos.

Com este triunfo, o 10.º seguido, o Benfica segurou o primeiro lugar da I Liga, com 36 pontos, mais cinco do que o FC Porto, que visita o Belenenses, no domingo, enquanto o Boavista permanece no quinto posto, com os mesmos 18 pontos do Sp. Braga, que visita o Desp. Aves, no sábado.

FIGURA
Vinícius. Foi mais um belo jogo de Carlos Vinícius. Depois de descansar na Taça da Liga, o brasileiro voltou com as pilhas carregadas e foi mais uma vez fundamental no triunfo do Benfica. Dois golos (dois belos remates) e uma assistência para o golo de Cervi, fizeram dele o mais importante da estratégia encarnada no Bessa. Saiu aplaudido pelos adeptos aos 82 minutos. Tem nove golos nos últimos nove jogos e totaliza agora 13 golos na I Liga, menos dois do que Pizzi que é o melhor marcador do Benfica (15).

VEJA OS GOLOS

FICHA DE JOGO

Jogo no Estádio do Bessa, no Porto.

Boavista - Benfica, 1-4.

Marcadores: 0-1, Carlos Vinícius, 34 minutos; 1-1, Stojiljkovic, 44'; 1-2, Cervi, 52'; 1-3, Carlos Vinícius ,62'; 1-4, Gabriel, 90'+2'.

Equipas:

Boavista: Bracali, Carraça, Fabiano, Neris, Ricardo Costa (Yusupha, 80), Marlon (Reisinho, 57), Obiora, Rafael Costa, Sauer (Samuel Pedro, 69), Stojiljkovic e Paulinho.

Treinador: Lito Vidigal.

Benfica: Vlachodimos, Tomás Tavares, Rúben Dias, Ferro, Grimaldo, Pizzi (Jota, 90+1), Taarabt, Gabriel, Cervi, Chiquinho (Samaris, 88) e Carlos Vinícius (Seferovic, 82).

Treinador: Bruno Lage.

Árbitro: Jorge Sousa (AF Porto).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Cervi (9), Obiora (30), Stojiljkovic (45+3), Rúben Dias (54), Rafael Costa (55), Ferro (90+4).

Assistência: 18.092 espetadores.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG