Beira-Mar está de regresso aos campeonatos nacionais

Histórico clube de Aveiro, que venceu uma Taça de Portugal e que caiu nos distritais, sagrou-se campeão da Divisão de Elite e para o ano vai disputar o Campeonato de Portugal.

Quatro anos depois, o histórico Beira-Mar está de regresso aos campeonatos nacionais. O clube de Aveiro venceu esta quinta-feira o Carregosense, por 2-1, e sagrou-se campeão da Divisão de Elite da Associação de Futebol de Aveiro, garantindo também a subida ao Campeonato de Portugal.

Aparício, autor dos dois golos da equipa de Aveiro, foi o grande herói da partida. "Este é o nosso regresso que, passo a passo, se vai fazendo com todos vocês! Obrigado pelo vosso apoio incondicional! Esta é a nossa Paixão Aurinegra!", escreveu o clube nas redes sociais.

"Dependíamos de nós e queríamos fechar já as contas com uma vitória. É um prémio para todo o plantel que, ao longo da época, foi muito superior aos adversários", disse no final do jogo o treinador Cajó. Para o presidente do Beira-Mar, Hugo Coelho, o "objetivo foi alcançado e, agora, a hora é de celebrar com todos os adeptos que merecem esta conquista". "Vamos para o Campeonato de Portugal com consciência e sem loucuras. Vamos ter tempo para ponderar todas as questões da próxima época", acrescentou.

A queda do clube de Aveiro aconteceu em 2015. Numa enorme crise financeira, o Beira-Mar não conseguiu cumprir os requisitos para se inscrever na II Liga e falhou também a inscrição no então denominado Campeonato Nacional de Seniores. Com a SAD em processo de insolvência, o destino estava traçado com o fim do futebol profissional.

O clube teve de começar tudo de novo. Em 2016 começou na II Divisão distrital de Aveiro e foi sempre subindo de escalão. Esta quinta-feira consumou o primeiro grande objetivo da atual direção, com a equipa a regressar aos campeonatos nacionais.

O Beira-Mar contabiliza 27 presenças na I Liga e tem como melhor classificação o sexto lugar alcançado na temporada 1990/91, quando terminou a prova no sexto lugar. O maior feito da história do clube de Aveiro foi a conquista da Taça de Portugal na época 1998/99, quando venceu o Campomaiorense na final realizada no Jamor, por 1-0, com um golo de Ricardo Sousa, aos 70 minutos, numa equipa que era treinada pelo pai, António Sousa, ex-internacional português e jogador do FC Porto e Sporting.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.