António Salvador avisa Sporting: "Contratos são para cumprir"

Presidente do Sp. Braga promete ir até às últimas consequência para receber quase 13 milhões de euros pela transferência de Rúben Amorim. Leões falharam pagamentos.

António Salvador promete tudo fazer para receber os 12, 3 milhões de euros que o Sporting deve aos guerreiros, pela transferência do treinado Rúben Amorim. "O negócio é simples. O Sporting mostrou-se interessado no Rúben, mas sempre disse que não estávamos interessados em vender, nem ceder. Estava a fazer uma recuperação fantástica e foi importante para dar o clique aos nossos jogadores. Disse que só podia sair pela cláusula. A dada altura ele mostrou-se disponível para abraçar outro projeto, já que o Sporting pagava a cláusula. Os contratos são para se cumprir. É isso que vou sempre fazer, defender o clube nessas situações", disse o presidente do clube minhoto em resposta a perguntas dos adeptos nas redes sociais do clube.

Tal como o DN noticiou em primeira mão, no dia 15 de abril, o Sporting devia ter pago cinco milhões de euros (mais juros) ao Sp. Braga, relativo à primeira prestação do negócio, no dia 6 de março, mas falhou esse pagamento. O clube de Alvalade justificou ao DN a decisão com o lay-off, tendo o diretor financeiro do clube dito depois à Sport TV, que se tratou de um "ato de gestão".

O problema é que os minhotos, além de não receberem a primeira tranche, consideram que a dívida aumentou para 12, 3 milhões de euros. O Sporting "tem um entendimento diferente" e o caso promete acabar nos tribunais.

Trincão vai dar que falar na próxima década

Questionado sobe quais os desafios que esta pandemia trouxe à gestão do Sp. Braga, o líder minhoto respondeu assim: "São momentos muito complicados que estamos a atravessar e é necessária uma liderança forte. Felizmente o Sp. Braga tem uma grande estrutura para poder aguentar e ultrapassar este desafio que é muito complicado e para que consigamos sair dele com uma liderança ainda mais reforçada ainda e com o clube estável."

Salvador "gostaria de ter todo atual plantel sempre à disposição" na próxima época. Quer dizer, todos menos um: "Já sabemos que vamos perder um grande jogador, que vai marcar a próxima década, o Trincão, que como sabem já está vendido ao Barcelona, mas o resto do plantel, ou quase todo, vai-se manter para a próxima época."

O Sp. Braga tem crescido como clube nos últimos anos e ele como presidente não podia estar mais satisfeito e orgulhoso. "Não é trabalho de uma pessoa, mas de um conjunto de enormes profissionais que dão todos os dias o seu contributo para este crescimento notório, reconhecido por todos, ano após ano. É com grande satisfação que ouço várias pessoas a falar sobre isso, por este país fora, mas também por essa Europa fora, de vários agentes do futebol, que reconhecem isso. É um orgulho para todos nós", confessou, atrevendo-se a revelar as principais características de um bom presidente: "paixão e exigência."

E com que presidente - Pinto da Costa, Luís Filipe Vieira ou Frederico Varandas - é mais difícil negociar? A pergunta que ficou sem resposta.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG