Alemanha. Bayern quase teve Fortuna, mas só há 'saladeira' no fim

Título adiado para a última jornada depois do empate do heptacampeão em Leipzig e do triunfo do Dortmund, apertado pelo Dusseldorf nos instantes finais

O Bayern de Munique tinha de ganhar para ser campeão. Empatou, 0-0, no terreno do 3.º, o RB Leipzig. Ou então, esperar por um desliza do rival Borussia de Dortmund frente ao Fortuna de Dusseldorf. Que não aconteceu: a equipa de Raphael Guerreiro (jogou os 90 minutos) venceu 3-2, apesar de um certo tom dramático no final, com o Fortuna a aproximar-se do empate.

Primeiro, o Bayern de Munique, campeão em título à procura de receber a oitava saladeira (forma do troféu atribuído ao vencedor da Bundesliga). A tribo da Baviera ainda vibrou com um golo de Goretzka, festejado efusivamente, até ser sido anulado, num jogo em que Bruma (RB Leipzig) e Renato Sanches (Bayern) não saíram do banco. O 0-0 deixa, basicamente (já lá vamos), o Bayern a um ponto da glória, dentro de uma semana, na receção ao Eintracht de Frankfurt.

O Dortmund, por outro lado, teve de suar para ultrapassar o Fortuna de Dusseldorf, que deu luta no Signal Park. Pulisic adiantou os anfitriões perto do intervalo (41'), mas logo no recomeço (47'), Fink devolveu o empate ao marcador. O Borussia não queria correr riscos desnecessários para levar a peleja pelo título até ao último suspiro e fez 2-1 aos 53'), por Delaney.

No entanto, o período de compensação foi um reboliço. Goetze parecia ter resolvido o assunto com o 3-1, mas logo de seguida Kownacki reabriu a luta. O Fortuna quase empatou por Hoffmann, mas o jogo chegaria ao fim com um triunfo que até deixa o Dortmund mais perto do Bayern (reduziu de quatro para dois, os pontos de atraso). Agora, das duas uma (e nenhuma parece ser muito provável, mas...): ou o Eintracht de Gonçalo Paciência ganha em Munique e o Dortmund em Moenchengladbach; ou há empate na Baviera e o Dortmund goleia por improváveis 17 golos de diferença. Nesse caso, ficaria com o mesmo saldo de golos (52) do que o rival, mas mais marcados e seria campeão.

Confira a classificação aqui.

Exclusivos

Premium

Vida e Futuro

Formar médicos no privado? Nem a Católica passa no exame

Abertura de um novo curso de Medicina numa instituição superior privada volta a ser chumbada, mantendo o ensino restrito a sete universidades públicas que neste ano abriram 1441 vagas. O país está a formar médicos suficientes ou o número tem de aumentar? Ordem diz que não há falta de médicos, governo sustenta que "há necessidade de formação de um maior número" de profissionais.