Álcool, mulheres e hippy crack: a polémica festa dos jogadores do Arsenal

Jornal The Sun teve acesso a um vídeo onde jogadores como Ozil, Aubameyang e Lacazette aparecem a inalar gás de óxido nitroso, numa discoteca, antes do arranque da época

Champanhe, whiskey e vodka nas mesas, jogadores a inalarem hippycrack, mais de 70 mulheres convidadas: um cocktail de alto risco numa festa de arromba organizada por vários jogadores do Arsenal num hotel de Londres, a poucos dias do início da liga inglesa, em agosto passado.

O vídeo que "agitou" Inglaterra na manhã desta sexta-feira foi obtido pelo jornal The Sun e mostra jogadores como Ozil, Aubameyang, Lacazette, Guendouzi e Kolasinac a inalarem o chamado "gás do riso", ou hippycrack, como é conhecido o gás de óxido nitroso, inalado através de balões de ar.

Ozil e Guendouzi parecem mesmo perder a consciência durante alguns instantes, com o jovem francês a cair para o lado no sofá. Também presentes na festa, os jogadores Skodran Mustafi e Henrikh Mkhitaryan aparecem no vídeo a recusar inalar o gás.

O hippycrack pode causar perda de coordenação, perda de consciência, ataque cardíaco e até a morte, em casos extremos, por falta de oxigenação do cérebro.

A festa terá contado com a presença de 70 mulheres e a conta final suportada pelos jogadores rondou os 30 mil euros, segundo contou uma fonte ao tabloide britânico. Os convidados tiveram de deixar os telemóveis à porta, mas as imagens do circuito interno de segurança do hotel acabaram por ir parar ao The Sun.

O Arsenal já reagiu e garantiu esta sexta-feira que vai reunir com os jogadores para os relembrar das responsabilidades que têm enquanto representantes do clube.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.