18 clubes, objetivos diferentes. O que esperar da Liga 2019-20

A I Liga arranca nesta sexta-feira, com 18 clubes à procura de objetivos diferentes durante uma temporada que só vai terminar em maio. Como sempre, Benfica, FC Porto e Sporting partem como favoritos.

BENFICA - O clube da Luz ficou sem os avançados João Félix e Jonas, mas permanece como favorito à conquista da I Liga de 2019/20, após uma pré-época bem-sucedida e de uma grande vitória na Supertaça. O triunfo na International Champions Cup e, sobretudo, a goleada imposta ao Sporting, por 5-0, na luta pelo primeiro troféu disputado na presente temporada, conferem este estatuto à equipa de Bruno Lage. O onze habitual apresentado no triunfo da passada edição do campeonato ficou orfão de João Félix, vendido a troco do montante recorde em Portugal de 126 milhões de euros para o Atlético de Madrid, e de outros potenciais titulares, como Jonas e Salvio.

FC PORTO - Os dragões terminaram a época passada sem revalidar o título e com a saída anunciada de jogadores-chave, obrigando Sérgio Conceição a reconstruir o plantel e a fazer uma aposta incerta na formação. Iker Casillas, por questões de saúde, Éder Militão, Felipe e Óliver, vendidos, Herrera e Brahimi, a custo zero, foram as peças fulcrais que abandonaram o Dragão, depois de um dececionante segundo lugar. Também a última partida da época terminou em desaire e abanou os dragões, na derrota perante o Sporting, na final da Taça de Portugal, por 5-4 nas grandes penalidades, depois do empate 2-2 no final do prolongamento. Mas já esta época, os dragões venceram o Krasnodar e deram um passo em frente rumo à entrada na fase de grupos da Champions.

SPORTING - Os leões iniciam a época 2019/20 uma semana depois de ter sido goleado por 5-0 pelo Benfica na Supertaça, sem vitórias nos jogos de pré-época, mas com a boa notícia da provável continuidade do capitão Bruno Fernandes - o mercado em Inglaterra já fechou. A possível saída do capitão foi notícia durante toda a preparação dos leões, mas nunca levou o técnico Marcel Keizer a testar alternativas táticas sem o melhor jogador da edição 2018/19 da I Liga e autor de quatro dos oito golos do Sporting na pré-temporada. O Sporting chega no domingo ao terreno do Marítimo, onde não vence há três épocas, à procura da primeira vitória no tempo regulamentar desde 5 de maio, quando goleou em casa o Belenenses por 8-1, na 32.ª jornada da temporada passada.

SP. BRAGA - Os arsenalistas partem para a temporada 2019/20 com um novo treinador, Ricardo Sá Pinto, e o já habitual objetivo de terminar nos quatro primeiros lugares, mas com um discurso mais moderado sobre o tão ambicionado título nacional. O foco do presidente 'arsenalista', António Salvador, é agora mais centrado em ficar no 'top-4' e chegar o mais longe possível nas taças da Liga e de Portugal, tentando conquistá-las. O maior destaque no defeso do clube bracarense foi a troca de treinador, com Abel Ferreira a não resistir ao apelo do campeão grego PAOK e António Salvador a escolher Ricardo Sá Pinto. E já começou bem a temporada, com um triunfo por 4-2, fora, sobre o Brondby, na primeira mão da terceira pré-eliminatória da Liga Europa.

DESP. AVES - O clube operou uma revolução no plantel para suplantar o 14.º lugar obtido na última edição da I Liga e riscar em definitivo o crónico rótulo de aflito na fuga à despromoção. À partida para o terceiro ano consecutivo na elite do futebol português, o emblema do concelho de Santo Tirso expõe como principal trunfo a continuidade de Augusto Inácio, que chegou a meio da última temporada para resgatar os avenses de uma campanha que parecia condenada ao fracasso e terminou com a manutenção alcançada na antepenúltima jornada.

BOAVISTA - Os axadrezados estreiam-se na I Liga com um jogo perante o seu público, no domingo, diante do Aves, e o presidente do clube, Vítor Murta, espera "uma época mais tranquila do que a anterior". As primeiras indicações, contudo, não são animadoras, porque a equipa venceu apenas um dos seis jogos que fez na pré-temporada e já foi eliminada da Taça da Liga, pois perdeu fora no sábado passado com o Casa Pia, da II Liga, por 2-0.

GIL VICENTE - O clube de Barcelos, condenado à descida há 13 anos no âmbito do 'caso Mateus', regressa à I Liga também pela via administrativa, com Vítor Oliveira no comando de um plantel construído de raiz. Sabendo de antemão que estariam entre os grandes do futebol português em 2019/20, os minhotos passaram o último ano a competir sem pontuar no Campeonato de Portugal, recorrendo a uma estrutura de transição que foi revitalizada em toda a linha no defeso.

FAMALICÃO - O clube minhoto já garantiu 21 reforços para a época de regresso à I Liga , após 25 anos de interregno, em que deseja rapidamente a manutenção, antes de pensar em objetivos mais altos. Prestes a começar a sétima temporada no escalão principal do futebol nacional, nos Açores, diante do Santa Clara (sábado), o clube manteve apenas quatro elementos regularmente utilizados na equipa vice-campeã da II Liga, com o treinador Carlos Pinto - o guarda-redes Defendi, o defesa Hugo Gomes e os avançados Walterson e Anderson.

MARÍTIMO - A equipa madeirense marca presença pela 40.ª vez na I Liga à procura de estabilidade e de um lugar entre os oito primeiros, com um novo treinador (Nuno Manta Santos), mas a base do plantel praticamente intacta. Após ter vivido momentos complicados na última temporada, lutando pela manutenção quase até ao fim do campeonato, o objetivo do clube madeirense para a época 2019/20 é de conseguir espaço no primeiro terço da tabela, contando com seis reforços e a saída de apenas um titular.

MOREIRENSE - A equipa de Moreira de Cónegos quer, na edição 2019/20 da I Liga , consolidar a continuidade no principal escalão, contando com um plantel que inclui, até agora, 11 reforços e um novo treinador, Vítor Campelos. Depois de várias temporadas com o rótulo de aflito, o Moreirense terminou a última época num histórico sexto lugar, às portas da Europa, com 52 pontos, mais 20 do que os conquistados no ano anterior.

V. GUIMARÃES - O clube vimaranense quer repetir o apuramento europeu da época passada, numa edição da I Liga que vai começar com um novo treinador, Ivo Vieira, e um novo presidente, Miguel Pinto Lisboa. Depois do quinto lugar em 2018/19, a formação vitoriana quer chegar novamente ao topo da tabela, numa temporada que já começou com os jogos das pré-eliminatórias da Liga Europa - eliminou o Jeunesse Esch e venceu na primeira mão o Ventspils, da Letónia, por 3-0.

RIO AVE - A equipa vilacondense inicia a sua 13.ª participação consecutiva na I Liga , com uma equipa ainda a adaptar-se às novas ideias do técnico Carlos Carvalhal. O treinador português, que nos últimos anos trabalhou no futebol inglês, substituiu no cargo Daniel Ramos, e teve como primeira missão reconstruir um plantel que perdeu algumas peças importantes da temporada anterior.

PORTIMONENSE - Depois de duas épocas seguidas a meio da tabela na I Liga, o Portimonense assegurou mais de uma dezena de reforços, incluindo três internacionais, para consolidar o seu estatuto na competição. O treinador António Folha, que conduziu a equipa algarvia ao 11.º posto na última edição da prova, renovou contrato com a SAD liderada pelo empresário Theodoro Fonseca, num projeto sustentado que visa, a médio prazo, atingir patamares europeus.

BELENENSES SAD - O clube lisboeta, ainda com algumas contratações por definir, parte para a nova época com a ambição de melhorar o nono lugar alcançado em 2018/2019 e chegar mais perto dos lugares que dão acesso à Liga Europa. A cumprir a sua terceira época ao comando da equipa azul, que pela segunda época vai disputar os jogos em casa no Estádio Nacional, em Oeiras, Silas é já um dos treinadores com maior longevidade à frente de um emblema da I Liga, a par de Sérgio Conceição, e este ano volta a ter de reconstruir a equipa praticamente do zero em função das muitas saídas face ao plantel do último ano.

P. FERREIRA - A equipa pacense regressa à I Liga de futebol com o objetivo de garantir cedo a permanência, procurando um futebol capaz de agradar aos adeptos, com recurso a um plantel bastante renovado, com 13 reforços. Murilo, extremo brasileiro que alinhava no Rio Ave, e Dadashov, avançado do Azerbaijão contratado pelos ingleses do Wolverhampton, vêm por empréstimo e foram os últimos a chegar, iniciando os treinos na semana de arranque do campeonato, que coloca o Paços de Ferreira, campeão da II Liga, frente ao campeão nacional Benfica, na Luz.

V. SETÚBAL - Os sadinos querem fazer um campeonato tranquilo, afastado dos lugares de descida e apostados em melhorar o 13.º lugar da época passada, em que só conseguiram a permanência na penúltima jornada. A equipa treinada por Sandro Mendes, que mantém a maioria dos atletas que compunham o plantel na época transata, arranca para o campeonato em 2019/20 com 32 jogadores, entre os quais sete reforços a que se juntam cinco jogadores oriundos dos sub-23, devendo alguns deles transitar para a Liga Revelação.

SANTA CLARA - O emblema açoriano parte para a época 2019/2020 com o objetivo de garantir pela segunda vez consecutiva a manutenção, o que, a suceder, seria a primeira vez na história do clube. O treinador dos micaelenses, João Henriques, que transita da época passada, anunciou os objetivos logo após o jogo de apresentação do Santa Clara, frente ao Praiense, no final de julho: "Tudo faremos para fazer história no Santa Clara: duas manutenções seguidas, nunca foi conseguido", disse então.

TONDELA - O clube beirão apostou numa nova equipa técnica e num plantel renovado, para uma época em que se quer afirmar na I Liga de futebol e, para isso, o treinador sabe que é preciso crescer coletivamente. Natxo González, desde que chegou ao clube, em junho deste ano, sempre se afirmou como um "treinador ambicioso", mas destaca o objetivo de "ficar mais uma época na I Liga" como aquele pelo qual a equipa vai lutar, depois de na última temporada ter assegurado a permanência na última jornada.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.