João Sousa vence Cilic e está na terceira ronda de Wimbledon

Tenista português venceu o croata, número 18 do mundo e finalista de Wimbledon há dois anos, por três sets a zero.

João Sousa, com uma exibição de grande nível, apurou-se esta quinta-feira para a terceira ronda do torneio de Wimbledon, depois de ter eliminado Marin Cilic em três sets (6-4, 6-4 e 6-4) - o croata é o atual número 18 da hierarquia mundial e em 2017 foi finalista do torneio britânico. Nos 16 avos de final, o português vai defrontar o britânico Daniel Evans, n.º 61 do mundo.

Esta é a segunda vez que o tenista natural de Guimarães atinge a terceira ronda de Wimbledon, igualando o feito alcançado em 2016. E foi a primeira vez que conseguiu vencer Cilic - nos cinco confrontos anteriores foi sempre derrotado (Masters 1000 de Madrid e ATP 500 de Pequim em 2014, Masters 1000 de Cincinnati em 2015 e Open da Austrália em 2018).

O tenista luso, que tem como melhor registo num Grand Slam a quarta ronda no US Open de 2018, nunca tinha batido num dos majors um jogador já vencedor de um dos quatro principais torneios - Cilic venceu o Open dos Estados Unidos, em 2014.

João Sousa arrancou para aquele que foi o quinto encontro com o croata, o primeiro disputado em relva, a fazer um 'break' no primeiro jogo de serviço do adversário e a alcançar logo uma vantagem de 2-0.

Manteve a distância mínima até ao 8.º jogo, altura em que enfrentou três pontos de 'break', e, depois de salvar o primeiro com um ás e anular os restantes dois, fez o 5-3. Mantendo a boa dinâmica evidenciada desde o primeiro ponto, o minhoto converteu o primeiro 'set point' que dispôs e encerrou o primeiro parcial por 6-4.

No segundo 'set', após o ex-número três mundial concretizar o seu jogo de serviço, João Sousa enfrentou novamente três pontos de 'break', mas voltou a anular as desvantagens e estabeleceu o 1-1 com um ás. No quarto jogo, o português, de 30 anos, voltou a enfrentar algumas dificuldades (15-40), mas conseguiu eliminar os dois pontos de 'break' para fazer o 2-2.

A quebra de serviço surgiu no quinto jogo, quando Sousa converteu o primeiro ponto de 'break' de que dispôs no segundo parcial para se colocar à frente (3-2), antes de fazer o seu jogo de serviço em branco (4-2). Segurou a vantagem até ao 5-4 e, ao concretizar o primeiro dos três 'set points', voltou a encerrar a disputa por 6-4.

Na terceira partida, o vimaranense foi o primeiro a ver-se em desvantagem (15-40), no seu primeiro jogo de serviço, mas conseguiu anular os dois pontos de quebra e estabeleceu a igualdade (1-1), antes de alcançar o 'break' no terceiro jogo (2-1). Conservou a vantagem (3-1) e no sexto jogo salvou novamente dois pontos de 'break', para fazer o 4-2.

Depois de Marin Cilic, campeão do US Open em 2014, reduzir para 4-3, João Sousa fez o 5-3. O adversário ainda reduziu (5-4), mas não encontrou argumentos para contrariar a confiança, jogo sólido, agressivo e assertivo do jogador português (6-4), que estabeleceu um novo recorde, ao salvar 12 pontos de 'break' num só encontro.

As estatísticas dizem que a vitória de Sousa residiu nos três 'breaks' (um em cada 'set'), 33 'winners' e apenas 7 erros não forçados, contra 33 pontos ganhantes e 46 erros não forçados do croata que, depois de batido por Roger Federer na final de há dois anos, foi eliminado pelo número um português.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG