Aaron Donald . O gigante de Pittsburgh que tem a missão de parar Tom Brady

Final do Super Bowl joga-se este domingo, em Atlanta (EUA), quando forem 23.30 em Portugal, entre New England Patriots e os Los Angeles Rams.

Aaron Donald tem sido "um monstro na rte de bem defender" esta temporada. O camisola 99 dos Rams, um gigante de 1, 85 metros e 127 kg, é considerado o melhor defesa da NFL da atualidade - o segundo mais bem pago, o que é também indicador da sua importância- e tem como principal missão parar o jogador mais vitorioso da história da NFL, leia-se, Tom Brady, na final do campeonato americano de futebol, na madrugada de domingo, quando os New England Patriots e os Los Angeles Rams se encontrarem em Atlanta, no novíssimo Mercedes Benz Stadium.

Filho de Archie Donald e Anita Goggins, Aaron começou a jogar futebol americano ainda criança na brincadeira. Foi mais tarde, na escola que começou a chamar a atenção como offensive guard na Penn Hills High School. O potencial era enorme e começaram a chover convite de universidades para o jovem da Pensilvânia: Toledo, Akron, Pittsburgh e Rutgers queriam-no. Ele escolheu ficar perto de casa e escolheu Pittsburgh. No primeiro ano do futebol universitário, começou no banco, depois disparou e foi eleito o melhor jogador defensivo do campeonato universitário de futebol americano (NCAA).

Uma história digna de um qualquer filme sobre jovens promessas de futebol americano que chegam ao estrelato e que conheceu novo capítulo em 2'14 quando foi escolhido pelos Rams, na época St. Louis, na 13ª escolha do draft. Logo nesse ano, foi eleito defesa calouro da NFL. Em 2017 arrecadou o prémio de melhor defesa do ano da Liga e tornou-se um dos principais defesas da NFL. Já foi selecionado quatro vezes para o Pro Bowl (Jogo das Estrelas) e três vezes para a seleção do ano (All-Pro). Agora, meses depois de assinar um contrato de quase 130 milhões de euros e levar um bónus de cerca de 35 milhões, quer ganhar o título do Super Bowl.

Mas Brady não tem uma história menos impressionante para contar. Escolhido no draft de 2000 pelos Patriots apenas na 199ª posição, o quarterback mais famoso da atualidade e já considerado um dos melhores da história, coleciona recordes para dar e vender e cinco anéis de campeão aos 41 anos. Este domingo vai em busca do sexto.... a não ser que Donald e a defesa dos Rams o impeçam de alcançar mais uma marca histórica.

"Contra qualquer grande quarterback, o principal objetivo como pass rusher é colocar o máximo de pressão possível, fazê-lo sair do lugar e tentar fazer com que ele se sinta desconfortável, para que erre os passes e que o dia dele seja bem mais difícil. Precisamos fazer o nosso trabalho, seguir o nosso plano e vai dar tudo certo", disse Donald ciente de é mais fácil de travar Brady na teoria do que na prática.

Até porque há mais ameaças nos Patriots, que têm um ataque com Trent Brown Joe Thuney, David Andrews, Shaq Mason e Marcus Cannon. Mas não será um missão para um homem só. "Não sou só eu. Há o Dante (Fowler Jr.), o Michael Brockers, o Samson (Ebukam), o (Ndamukong) Suh, são muitos com quem se preocupar. Também temos a nossa linha secundária, eles vão fechar as brechas, teremos a chance de chegar até ele e só temos que derrubá-lo quando ele estiver com a bola".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG