Vítimas dos atentados de 2013 voltaram à maratona sentimental

Os etíopes Lemi Berhanu Hayle e Atsede Baysa venceram respetivamente nas categorias masculina e feminina. Várias pessoas feridas nos atentados correram ontem a prova

Perderam as pernas nos atentados da Maratona de Boston de 2013, que vitimaram três pessoas e deixaram 264 feridos. Ontem, três anos depois da tragédia, Patrick Downes e Adrianne Haslet-Davis partiram na frente da corrida para enfrentarem 42 quilómetros com próteses. Os etíopes Lemi Berhanu Hayle (21 anos), em masculinos, e Atsede Baysa (29), em femininos, foram os primeiros a cortar a meta, mas no final da prova não existiam dúvidas sobre os grandes vencedores.

"Eu sinto que estou a celebrar o corpo que me restou e sinto isso de forma espiritual. Para mim, poder fazer isto é algo de triunfal, aconteceu uma tragédia, mas temos de celebrar a vida", disse Patrick Downes ao jornal The Boston Globe antes da prova.

Desde os atentados de 2013, a maratona de Boston passou a ser uma das etapas do circuito mundial com segurança mais reforçada e ontem, com cerca de 30 mil participantes, nada foi descurado, até devido aos recentes atentados terroristas em Paris e Bruxelas. "Ninguém terá percebido, mas o nosso sistema de segurança era gigantesco. Temos de estar sempre à prova, infelizmente por recentes tragédias, e hoje [ontem] foi o que aconteceu. Não houve qualquer problema e o importante foi ver as pessoas correrem, sentindo-se totalmente seguras", afirmou no final da prova um porta-voz da polícia local.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG