Verstappen vence na Áustria e aumenta vantagem no Mundial

O piloto holandês da Red Bull cortou a meta à frente de Valtteri Bottas (Mercedes) e Lando Norris (McLaren). Hamilton foi quarto.

O holandês Max Verstappen (Red Bull) venceu este domingo o Grande Prémio da Áustria, nona prova do Mundial de Fórmula 1, e aumentou para 32 pontos a vantagem sobre o britânico Lewis Hamilton (Mercedes), quarto classificado.

Verstappen, que já tinha vencido no mesmo circuito o Grande Prémio da Estíria, no passado domingo, demorou 1:23.54,543 horas a cumprir as 71 voltas ao Red Bull Ring, em Spielberg.

O finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) ficou na segunda posição, a 17,973 segundos, com o britânico Lando Norris (McLaren) a ser terceiro, a 20,019 do vencedor.

Lewis Hamilton, que chegou a esta corrida na segunda posição do campeonato, a 18 pontos de Verstappen, não conseguiu ir além do quarto lugar, a 46,452 segundos do vencedor.

O piloto dos Países Baixos dominou a toda a linha, juntando à vitória a 'pole position' conseguida no sábado e a volta mais rápida em corrida.

Vertappen pôde, mesmo, parar a uma dúzia de voltas do final para montar pneus duros novos e perguntar à equipa qual o mapa de motor a utilizar para ir atrás da volta mais rápida, que já era sua.

O piloto da Red Bull arrancou bem e conseguiu tapar o caminho de Lando Norris, que, partindo da segunda posição da grelha, largou ainda melhor.

Mas um incidente entre o finlandês Kimi Raikkonen (Alfa Romeo) e o francês Esteban Ocon (Alpine) terminou com o piloto gaulês na escapatória, com a roda direita do seu carro partida e com o 'safety car' em pista.

No reatamento, Vertappen voltou a ser mais ágil do que a concorrência e nunca mais viu a sua liderança importunada.

"Todos nos veem como favoritos, mas não é fácil cumprir as expectativas. Tive de estar concentrado no arranque", frisou Verstappen, confessando que "ter os adeptos é uma grande motivação".

Hamilton ainda chegou à segunda posição, mas sem ritmo que ameaçasse o líder do campeonato.

Contudo, o piloto britânico foi perdendo gás devido a danos sofridos no fundo plano do seu carro e acabou na quarta posição, a mesma de onde partiu.

"As últimas quatro ou cinco corridas têm sido difíceis, muito dolorosas. Perdi o segundo lugar devido a alguns danos no fundo plano do carro. Não havia nada que pudesse fazer. Ainda falta muito campeonato. Vamos dar o nosso melhor", prometeu Hamilton.

Vertappen somou, assim, a 15.ª vitória da sua carreira, quinta desta temporada, segunda consecutiva.

O piloto da Red Bull soma 182 pontos, pois ainda contou um ponto extra pela volta mais rápida em corrida, enquanto Hamilton, sete vezes campeão do mundo, tem 150.

A próxima prova é o GP de Inglaterra, onde entrará em ação a sprint race, que dará pontos aos três primeiros e definirá a grelha de partida para a corrida principal, de 16 a 18 de julho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG