Uma taça de gigantes que faz Maradona viajar 12 mil quilómetros

Final da Taça Davis arranca hoje, entre Argentina e Croácia, e envolve três dos 10 tenistas mais altos da história

Podiam ter sido basquetebolistas, mas a paixão pela raqueta era maior do que pelo cesto. Ivo Karlovic, Maric Cilic e Juan Martín del Potro são três dos 10 tenistas mais altos da história e iniciam esta sexta-feira a luta pela edição de 2016 da Taça Davis, cuja final reúne Argentina e Croácia.

Marin Cilic, de 1,98 metros, será o primeiro a entrar em cena na Arena Zagreb, pavilhão com capacidade para mais de 15 mil espectadores e que já acolheu eventos de basquetebol, andebol e música, tendo custado 90 milhões de euros. O adversário do croata será o argentino Federico Debonis, que, com os seus 1,91 metros, consegue ser o tenista mais baixo a competir hoje.
O segundo jogo colocará frente a frente Ivo Karlovic, tenista mais alto da história (2,11 metros), e o argentino Juan Martín del Potro, que também mede 1,98m. No caso destes dois tenistas, é a oportunidade para reviverem uma velha rivalidade.

Juan Martín nasceu a 23 de setembro de 1988 e, cinco dias depois, foi a vez de Marin. Um em Tandil, outro em Medjugorje, cidades separadas por 12 mil quilómetros. Ainda assim, os seus caminhos cruzaram-se ainda antes de chegarem a profissionais no circuito ATP: em 2002, quando tinham 14 anos, Del Potro e Cilic defrontaram-se na Orange Bowl, torneio ITF. O argentino venceu facilmente.
Desde então, os dois tenistas já se cruzaram 10 vezes, com larga vantagem para o argentino, que venceu oito partidas. O croata é o mais bem cotado na hierarquia, com o atual 6.º lugar, mas Del Potro, 38.º, já foi número 4 mundial e foi prejudicado por várias lesões nos últimos anos.

A Croácia é, teoricamente, favorita à conquista do torneio, apesar da substituição de última hora de Borna Coric por Franko Skugor, devido a problemas físicos. Ivan Dodig completa a equipa da anfitriã da final da Taça Davis, enquanto Leonardo Mayer e Guido Pella, dupla que vai a jogo amanhã, juntam-se a Del Potro na luta pelo sonho.

"Penso que a Croácia é favorita, mas estamos confiantes e orgulhosos por estar aqui", reagiu Del Potro, tentando guiar a Argentina ao seu primeiro título na Taça Davis, após as finais perdidas em 1981, 2006, 2008 e 2011. A Croácia, por sua vez, sonha em repetir a conquista única de 2005, na Eslovénia.

Dream Team para Maradona ver

Ivo Karlovic, 37 anos, chegou a deter o serviço mais rápido da história do tenista (251 km/h, marca batida em 2012) e é um dos maiores especialistas no serviço, sendo apenas um dos dois tenistas do circuito mundial a conseguiram ultrapassar a marca de 10 mil ases. O final de carreira aproxima-se, mas o tenista aceitou, após quatro anos sem representar a Croácia, ser um reforço de "luxo" para a sua seleção, após ter abdicado, em 2012, por problemas com a Federação.

"Com Karlovic conseguimos formar uma espécie de Dream Team e é fantástico que ele se tenha juntado a nós. Não podia ter regressado em melhor altura", celebrou o selecionador Zeliko Krajan.
No entanto, a Croácia já sabe que terá, nas bancadas, um adepto especial a torcer pela Argentina: Diego Maradona, que vai viajar 12 mil quilómetros até Zagreb para apoiar o amigo Del Potro, contra quem já chegou a jogar em 2013, à margem do ATP Dubai.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG