Um onze com um infiltrado e uma escala na Arena Portugal

Na falta de um Ronaldo de carne e osso, serve um craque feito de cartão para fazer a festa

Pela Arena Portugal passam todas as nacionalidades, joguem as respetivas seleções ou não. Mais ou menos fanáticos, o Mundial é um evento que atrai milhares ao relvado montado no Terreiro do Paço, desde mexicanos com as suas famosas máscaras dos combates de luta livre e "sombreros", a pais a fazerem pausas no turismo para os filhos poderem ver a bola. Mas esta é a história de um grupo de adeptos de um habitual ausente, a Irlanda, e de um fanático do "joga bonito" de um eterno candidato à conquista do título de campeão, o Brasil.

Cian Nelson, irlandês, está de férias em Lisboa com os amigos para festejar a sua despedida de solteiro e surgiu na Arena a formar um onze pronto a entrar em campo. O ponta de lança é nada mais nada menos que Ronaldo. Sim, Ronaldo. De cartão, mas é o craque português que lidera um onze composto por mais nove amigos trajados com as cores de Portugal, e o próprio Cian Nelson, mas este como se se tratasse de um infiltrado, com a camisola quase no mesmo tom... mas da Roja, da seleção espanhola. "A Irlanda não está no Mundial, então nós apoiamos Portugal. Mas o noivo está vestido à Espanha porque já não é um de nós, vai casar!", brincou um dos participantes na viagem a Lisboa para festejar o fim dos dias de solteiro de Cian.

Já Hugo Marn, brasileiro, apareceu sozinho na Arena Portugal. Em escala na viagem do seu país para a Rússia, onde presenciará o seu quarto Mundial consecutivo (desde o Alemanha2006), Hugo não quis ficar onze horas no Aeroporto Humberto Delgado à espera do voo seguinte enquanto a poucos quilómetros poderia ver em clima de festa os jogos do dia. Procurou um bom sítio para ver a bola e optou pelo palco montado à beira-rio para passar a tarde. Fanáticos da bola são assim...

Exclusivos