Um clássico para "homenzinhos" e "pessoas inteligentes" com meia vista para a final

Sporting e FC Porto voltam hoje a defrontar-se (1.ª mão das meias-finais) depois dos tristes acontecimentos de há três semanas no Dragão. Os dois treinadores garantem que desta vez não vão existir incidentes.

Sporting e FC Porto voltam esta noite (20.45, TVI) a medir forças, agora em Alvalade, em jogo da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, num clássico que os dois treinadores querem que seja um exemplo, sem as cenas vergonhosas e de casos de agressão e intimidação que marcaram o último jogo entre as duas equipas há três semanas, no Dragão, relativo à I Liga.

"Não falei com os jogadores, mas aquilo não pode voltar a acontecer. A ideia é jogar o jogo pelo jogo, quem ganhar ganha, temos de dar um exemplo melhor do que no jogo do Dragão. Os jogadores são homenzinhos, não precisamos de ter essa conversa", garantiu ontem Rúben Amorim.

Conceição teve uma resposta dentro do mesmo estilo: "Ninguém quer ver repetido o que se passou no Dragão. É importante que as pessoas percebam, e eu acho que sim, não é preciso estar com grandes alertas. Temos pouco tempo para preparar o jogo, aquele que é verdadeiramente importante dentro das quatro linhas, e não vou estar a perder tempo com situações extremamente desagradáveis que não valem a pena. Há pessoas inteligentes nos dois clubes que percebem que aquilo foi demasiado."

Arrumada a polémica do último confronto, os treinadores viraram-se para o jogo. "Nós temos como objetivo chegar à final e ganhá-la. Mas, para isso, é preciso ultrapassar este Sporting dentro de um contexto de muitos jogos em poucos dias. É uma dificuldade na preparação do jogo e temos de dar o nosso máximo para conseguirmos o melhor resultado possível", resumiu Conceição, lembrando que os leões são "os campeões nacionais, estão na Liga dos Campeões, são uma equipa forte com uma boa equipa técnica e bons jogadores". "Falo no contexto individual e coletivo, em que são bem trabalhados. É um dos adversários fortes que temos nas competições internas", considerou.

Já Rúben Amorim desvalorizou o facto de o FC Porto ter perdido no mercado de janeiro o seu jogador mais influente. "É uma equipa muito forte, consegue ganhar jogos com e sem Luis Díaz. Olhamos para isso, não esperamos um FC Porto fragilizado, está na Taça de Portugal, está com vantagem no campeonato. São duas equipas na máxima força", referiu, não confirmando se João Virgína será titular na vez de Adán: "Vamos escolher a melhor equipa para ganhar o jogo. Vamos escolher o melhor guarda-redes para vencer o FC Porto."

O castigo a Tabata e... Pepe

O técnico leonino confirmou que Pedro Gonçalves não é opção para esta noite e que Feddal está em dúvida. Já em relação a Tabata, um dos jogadores castigados na sequência dos acontecimentos do último clássico, e que tal como Pepe está a ser alvo de um procedimento disciplinar da parte do Conselho de Disciplina da FPF que pode resultar num castigo maior, o treinador disse contar com o avançado para hoje e até meteu a FPF ao barulho. "Estou a contar com ele, não acredito que saia algum castigo até passarmos a eliminatória da seleção com a Itália [play-off de acesso ao Mundial, se Portugal passar a Turquia e a Itália vencer a Macedónia do Norte], estou tranquilo", atirou, no que pode ser entendido como uma alusão ao facto de Pepe ser uma peça chave para Fernando Santos na seleção nacional.

Conceição admitiu que no final do empate com o Gil Vicente (1-1), teve uma conversa dura com os jogadores, até porque durante muito tempo jogaram contra dez. "Foi uma mensagem forte. Eles sabem o que estou a dizer. Depois do Gil Vicente foi uma mensagem muito forte", disse, deixando duras críticas ao tempo útil de jogo diante dos gilistas. "Queríamos ganhar o jogo e tivemos possibilidades para isso, mas dos 70 aos 82 minutos jogou-se um minuto e meio. Em doze minutos não se jogou durante nove. Jogando em superioridade numérica, a equipa adversária deixa o guarda-redes no chão e esse tipo de situações são uma vergonha", criticou, deixando no ar a possibilidade de utilizar Pepe e Marchesín, outros dois visados em termos disciplinares no clássico de há três semanas, mas que já podem ser utilizados esta noite.

Para Rúben Amorim, o Sporting não tem qualquer vantagem em jogar a primeira mão em casa. "Não é vantagem nenhuma, até porque depois temos de jogar em casa deles. É um jogo entre duas grandes equipas e obviamente que jogando em casa temos o apoio do nosso público, mas como são duas grandes equipas eles podem vencer em Alvalade, como nós no Dragão", considerou.

Em termos meramente estatísticos, o Sporting tem vantagem sobre o FC Porto nos duelos a duas mãos entre as duas equipas na Taça de Portugal, ao somar cinco apuramentos, contra quatro dos dragões. Os dois conjuntos voltam a encontrar-se num confronto em dois jogos quatro anos depois de os leões, então comandados por Jorge Jesus, terem superado o FC Porto, já de Sérgio Conceição, nas meias-finais da edição 2017/18. A formação portista venceu em casa por 1-0, o Sporting venceu com igual resultado (golo de Coates) em Alvalade, na segunda mão, o que obrigou a eliminatória a ser decidida nos penáltis onde os leões foram mais fortes.

nuno.fernandes@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG