UEFA destaca Rui Barros como um dos 12 jogadores que alinharam no Mónaco e Juventus

A entidade reguladora do futebol europeu destaca o antigo jogador do FC Porto como um dos futebolistas que representaram o Mónaco e a Juventus, que na quarta-feira se defrontam para a Liga dos Campeões

A UEFA destaca esta sexta-feira o antigo jogador do FC Porto Rui Barros como um dos 12 futebolistas que representaram o Mónaco e a Juventus, equipas que na quarta-feira medem forças na meia-final da Liga dos Campeões.

Atual treinador adjunto de Nuno Espírito Santo nos 'dragões', Rui Barros trocou os 'azuis e brancos' pela equipa de Turim em 1988, de onde saiu, dois anos mais tarde, rumo ao principado.

"Com uma energia física que parecia inesgotável, o pequeno e criativo português Rui Barros chegou aos 'bianconeri' proveniente do Porto em 1988", lembrou a UEFA, sublinhando que o médio ofensivo, de 1,59 metros de altura, "mostrou toda a sua classe em Turim, onde conquistou uma Taça de Itália e uma Taça UEFA em 1989/90"

E prosseguiu: "No final dessa temporada, rumou ao Mónaco e venceu a Taça de França, em 1990/91, antes de perder frente ao Werder Bremen a final da Taça dos Vencedores das Taças de 1992, no antigo Estádio da Luz"

Da passagem de Rui Barros pelo clube monegasco, a UEFA destaca ainda "o golo que marcou de cabeça contra a Roma, nos quartos-de-final da Taça das Taças", proporcionando "ao Mónaco aquela que ainda é a sua única vitória contra equipas italianas".

Thierry Henry, Lilian Thuram, David Trezeguet, Patrice Evra, Marco Di Vaio, Christian Vieri, Vladimir Jugovic, Sergio Almirón, Olivier Kapo e Morgan de Sanctis, atual guarda-redes suplente do Mónaco, foram os outros jogadores que representaram os dois clubes.

No caso de Didier Deschamps, estreou-se como treinador no Mónaco em 2001 e ali permaneceu durante quatro épocas. Saiu em 2005 e, no verão seguinte, voltou à 'Juve', clube que representara em três finais sucessivas da Liga dos Campeões na década de 1990. Deschamps promoveu a equipa da Série B na sua única época à frente da formação italiana.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG