Três equipas da NBA vão boicotar hotéis de Trump nas deslocações

Das 30 equipas, só três admitiram publicamente que vão deixar de ficar nos hotéis do presidente eleito, mas o boicote poderá estender-se a muitas mais

Pelo menos três equipas da NBA, a liga de basquetebol norte-americana, vão deixar de ficar nos hotéis de Donald Trump esta temporada, numa tentativa de evitarem qualquer associação ao presidente eleito. A notícia, avançada pelo canal desportivo ESPN, refere que os Milwaukee Bucks, os Memphis Grizzlies e os Dallas Mavericks não vão voltar a ficar nos hotéis de Trump em Nova Iorque e Chicago, uma vez que o apelido do presidente eleito figura no nome dos hotéis.

De acordo com a imprensa norte-americana, estas equipas poderão não ser as únicas a tomar esta decisão: outras terão decidido abandonar os hotéis Trump só no final da temporada, devido aos contratos já realizados antes de o empresário chegar à presidência. A ESPN contactou as 30 equipas da NBA e descobriu que várias tinham decidido não ficar nas unidades hoteleiras do presidente eleito, sem admitirem que foi o fator político que os fez tomar tal decisão.

Recorde-se que um dos donos dos Milwaukee Bucks, Marc Lasry, e o proprietário dos Dallas Mavericks, Marc Cuban, apoiaram a candidatura democrata de Hillary Clinton, que foi derrotada por Trump nas eleições do passado dia 8.

As reservas das equipas para a temporada da NBA são normalmente feitas durante o mês de agosto, data em que é conhecido o calendário dos jogos, mas a informação sobre o alojamento não é sempre fornecida à liga.

Desde a eleição de Trump, três dos mais célebres treinadores da NBA - Stan Van Gundy, dos Detroit Pistons, Steve Kerr dos Golden State Warriors e Gregg Popovich, dos San Antonio Spurs - admitiram publicamente o seu desconforto e o dos seus jogadores com a eleição de Trump. Van Gundy considerou mesmo o novo presidente "aberta e descaradamente racista, misógino e etnocêntrico".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG