Treinador do FC Porto fala em "jogo de 4,5 pontos" com Sporting

Sérgio Conceição diz que o clássico frente ao Sporting "não vai decidir nada", mas admite que é "um jogo de 4,5 pontos".

A receção do campeão nacional FC Porto ao 'vice' Sporting, no sábado, da terceira jornada da I Liga de futebol, será perspetivada como um "jogo de 4,5 pontos", admitiu esta sexta-feira o treinador dos 'dragões', Sérgio Conceição.

"Os jogos são sempre importantes e não sabemos qual é o mais importante para definir o campeão. Jogos entre candidatos têm a particularidade de o adversário não ganhar três pontos e nós podermos conquistá-los em caso de vitória. Nesta altura, penso que não vai decidir nada. É um jogo de 4,5 pontos", projetou o técnico, em conferência de imprensa.

O FC Porto começou a defesa do cetro com triunfos frente ao Marítimo (5-1) e ao Vizela (1-0), já depois da 23.ª conquista da Supertaça Cândido de Oliveira, mas tem recebido "alerta diário" para "andar sempre à procura da perfeição na forma de jogar e de estar".

"Os grandes campeões são os jogadores e as equipas que conseguem, através daquilo que vão ganhando e produzindo, estarem ainda mais motivados para o próximo desafio. Esse estado de espírito é muito importante para se colocar em campo tudo aquilo que trabalhamos e da forma que pensamos que é a ideal, porque nos deu êxito no passado e tem de continuar a dar no futuro. Isso faz parte do ADN da equipa e do clube", explicou.

No somatório de todas as provas, os 'dragões' não perdem desde janeiro de 2021 com o Sporting, que viu Matheus Nunes rumar aos ingleses do Wolverhampton dias antes do 'clássico', tal como Sérgio Conceição já tinha perdido unidades influentes para 2022/23.

"Já vi em muitos títulos que ando aziado. Desta vez, cabe um bocadinho isso ao Rúben [Amorim, treinador do Sporting]. De certeza, não preparou a equipa com essa azia, mas focado em fazer o melhor estrategicamente para nos surpreender. O Matheus Nunes era bastante importante na dinâmica do Sporting. Ficamos mais pobres sem estes grandes jogadores, mas é normal dentro do campeonato em que estamos inseridos", comentou.

Esperando que os 'leões' se apresentem com o tradicional '3-4-3', o técnico advertiu ser "preciso trabalhar e estar atento àquilo que o adversário faz tão bem", notando que esse modelo se "pode tornar mais imprevisível em função das características dos jogadores".

"No setor intermédio, o Sporting não tem Matheus Nunes, mas pode alinhar com Morita, Pedro Gonçalves ou Mateus Fernandes. Preparámo-nos para isso. Na frente, pode sair o Edwards e entrar o Nuno Santos ou este último baixar para ala. Diferentes características podem dar diferentes nuances ao desafio. É nisso que estamos a trabalhar", sustentou.

Questionado sobre a expectável ausência de Paulinho, por lesão, Sérgio Conceição diz que "não há grande diferença entre o ataque móvel do Sporting" com e sem a referência ofensiva dos 'leões', que "tem comportamentos de '10', apesar de ser um 'nove' puro".

"Não está constantemente entre os centrais, é móvel e procura muito bem o espaço nas costas da linha defensiva adversária. Não digo que o ataque móvel do Sporting crie as mesmas dificuldades, até porque o jogador que vai substituir o Paulinho é diferente, mas não vai deixar de ter essa característica, principalmente no corredor central", terminou.

Titular nas três partidas oficiais dos 'dragões' em 2022/23, o centrocampista sérvio Marko Grujic manifestou fadiga muscular em Vizela e voltou na manhã de hoje a fazer trabalho de ginásio e tratamento, num boletim clínico em que ainda está o defesa Wilson Manafá.

Justiça no cartão amarelo em Vizela

O árbitro Fábio Veríssimo teve "toda a razão" ao punir Sérgio Conceição com o cartão amarelo na vitória do FC Porto em Vizela (1-0), da 2.ª jornada da I Liga, admitiu o treinador dos dragões.

"Nem sabia que o amarelo era para mim. Estava a falar com o Pepe e ele [o árbitro] tem toda a razão, porque estava quase na linha lateral e nem me tinha apercebido. Podia ter chegado lá e dizer 'olhe, amigo, vá para a sua área técnica'. Eu ia e não era problema, mas veio rapidamente com o cartão", rememorou o técnico, na conferência de imprensa de antevisão ao 'clássico' com o Sporting, no sábado, da terceira ronda do campeonato.

Sérgio Conceição foi admoestado pela terceira vez em outras tantas partidas oficiais em 2022/23, notando ser "um exagero" o critério mais apertado adotado pelas equipas de arbitragem quando "não há faltas de respeito ou insultos, mas só se está a viver o jogo".

"Há uma tentativa de acalmar os bancos, mas acalmar em que sentido? Acho que até é pior. Se o quarto árbitro tiver essa comunicação com o banco [de suplentes], vou para a minha área técnica. Mas, se quiserem que esteja lá amarrado, não consigo. Se não, dá-me um ataque. O público vibra e os atletas andam numa intensidade máxima", ilustrou.

O jogo em Vizela foi resolvido com um golo de Marcano, aos 90 minutos, tendo o defesa central espanhol aproveitado o período de suspensão do reforço David Carmo, adquirido ao Sporting de Braga, por 20 milhões de euros, para se impor ao lado do 'capitão' Pepe.

"Não gosto nada de rótulos, porque às vezes se colocam alguns que não correspondem minimamente à verdade. O David Carmo está disponível e a treinar. Já o Marcano está a treinar depois de uma travessia no deserto, em que teve muito sofrimento e um incrível espírito de sacrifício. Davam-no como acabado para o futebol há dois meses. Temos de olhar para o momento dos jogadores e escolher os dois melhores entre os cinco centrais que temos disponíveis. É o meu trabalho, mas pagam-me e bem para isso", assegurou.

Outra das 'caras novas' para 2022/23 é o avançado brasileiro Gabriel Veron, que entrou ao intervalo no último jogo e recebeu indicações de Sérgio Conceição após o apito final.

"Fez-me lembrar uma situação que tive com outro jogador. Num lance em que podia ter isolado o Galeno, em vez de fazer um passe simples com a parte de dentro do pé, quis fazer um passe à brasileiro, à futsal. Fica bonito de se ver, mas não é tão eficaz. Tem de perceber que todos os momentos e pormenores são importantes para ganharmos jogos. Estávamos ainda com 0-0 e precisávamos de um golo para vencer aquele jogo", vincou.

Instado a prever a abordagem do FC Porto à última quinzena da janela de transferências, o técnico recuperou a sua célebre expressão de que "o mercado fica à porta do Olival".

"É uma questão muito interessante, mas vou responder da forma que fiz sempre. Tenho um plantel capaz, mas os treinadores querem sempre mais. Se não entrasse ninguém, mesmo tendo saído quem saiu, continuava a ter um plantel capaz, incluindo dois ou três jogadores da equipa B. Agora, capaz para quê? É isso, mas não vou responder", atirou.

O campeão nacional FC Porto, que lidera a I Liga, a par de Benfica, Boavista e Vitória de Guimarães, todos com seis pontos, recebe o Sporting, quinto, com quatro, no sábado, às 20:30, no Estádio do Dragão, no Porto, no primeiro embate entre 'grandes' da temporada 2022/23, que vai ser arbitrado por Nuno Almeida, da Associação de Futebol do Algarve.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG