Pedro Sousa e João Domingues uniram-se à festa da manutenção

Portugal venceu a Eslovénia por 5-0

Pedro Sousa e João Domingues fizeram este domingo o pleno para Portugal no 'play-off' frente à Eslovénia, celebrando a permanência no Grupo I da zona euro-africana da Taça Davis em ténis com um 5-0.

No primeiro encontro de singulares da terceira e última jornada, Sousa derrotou Tomislav Ternar, pelos parciais de 6-0 e 6-4, com Domingues a ter a 'honra' de completar o 5-0, com o triunfo, por 6-4 e 6-3, frente a Tom Kocevar-Desman.

Com a eliminatória decidida, os 'capitães' optaram por dar lugar às segundas linhas, com Nuno Marques a abdicar de João Sousa no primeiro encontro de singulares da terceira e última jornada do 'play-off' em favor de Pedro Sousa e Blaz Trupej a chamar Tomislav Ternar para o lugar de Grega Zemlja.

Vencedor de seis títulos 'future' (terceiro escalão do circuito) esta temporada (em 11 finais), o número três nacional 'coloriu' com o seu ténis bonito a terra batida do 'court' do Clube de Ténis de Viana do Castelo, num encontro de direção única.

Ternar entrou mal no encontro, entregando o primeiro jogo do quarto do embate entre Portugal e Eslovénia em branco. O esloveno, 758.º do 'ranking', ainda teve a um ponto do 'contra-break', mas Sousa segurou o seu serviço e quebrou o do adversário logo de seguida para ficar a liderar por 3-0.

Os óbvios problemas físicos do número dois esloveno e os pormenores de qualidade do lisboeta tornaram o primeiro 'set' um verdadeiro 'passeio' para o 208.º jogador mundial: depois de 'quebrar' o serviço de Ternar pela terceira vez, serviu para o 6-0, consumado em apenas 25 minutos.

Com tantas facilidades, Sousa teve um momento de quebra de concentração, aproveitado pelo adversário para conquistar o 'break' e ficar a liderar por 3-1. No entanto, o número três nacional corrigiu prontamente o erro, com o segundo parcial a ficar empatado até aos 4-4.

No momento crucial do encontro, Ternar 'tremeu' e ofereceu o 'break' ao tenista luso, que não desperdiçou a oportunidade e conquistou o triunfo, por 6-0 e 6-4, em uma hora e sete minutos.

Sem nada mais a decidir, restava saber se Portugal sairia do Clube de Ténis de Viana do Castelo, um local onde a seleção tem sido assumidamente feliz, com o pleno de vitórias, uma missão entregue ao ainda vigente campeão nacional.

E João Domingues não fracassou. Talvez inspirado na fórmula usada por João Sousa e Gastão Elias, o 388.º jogador mundial elevou o nível nos momentos cruciais do encontro: no primeiro 'set', 'quebrou' o serviço de Tom Kocevar-Desman quando o marcador estava empatado 4-4, conquistando o parcial por 6-4, com um serviço em branco, e no segundo, adiantou-se para 4-3, antes do esloveno pedir assistência médica.

O número quatro da seleção portuguesa, que substituiu o lesionado Frederico Silva no alinhamento inicial, não se desconcentrou com a pausa, cumpriu no seu serviço e viu o 822.º jogador ATP 'oferecer-lhe' a vitória, conseguida em uma hora e 11 minutos, com uma dupla falta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG