Supremo espanhol confirma pena de 21 meses de prisão a Messi

O futebolista do Barça e o pai estavam acusados de defraudar em 4,1 milhões de euros o estado espanhol

O Tribunal Supremo de Espanha ratificou a pena de prisão de 21 meses de prisão para o futebolista Lionel Messi por fraude fiscal, avança a imprensa espanhola. O futebolista do Barça havia sido condenado em julho passado pela Audiência de Barcelona. A mesma pena fora aplicada ao pai, mas a este o Supremo decidiu reduzi-la para 15 meses.

De acordo com o El País, o tribunal superior aplicou uma atenuante a Jorge Horacio Messi, uma vez que o filho devolvera o dinheiro em causa na fraude fiscal.

De acordo com a lei espanhola, por se tratar de penas inferiores a dois anos, o tribunal de Barcelona poderá suspender a ida do futebolista e do pai para a prisão, pelo que não é garantido que estes cumpram efetivamente pena de prisão.

O Supremo confirmou também a multa de dois milhões de euros que havia sido imposta ao jogador argentino mas reduz a do pai de 1,5 para 1,3 milhões, diz o El País.

Messi e o pai estavam acusados de defraudar em 4,1 milhões de euros o estado espanhol, através de uma estrutura de empresas sedeadas em paraísos fiscais. Essa estrutura terá permitido a Leo Messi e Jorge Horacio, o pai do jogador do Barcelona, não pagar em Espanha, entre 2007 e 2009, os impostos sobre os lucros com os direitos de imagem de Messi.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG