Tribunal viabiliza Bruno de Carvalho no banco durante o dérbi

O Tribunal Central Administrativo do Sul deu esta sexta-feira provimento à providência cautelar que Bruno de Carvalho interpôs. Presidente leonino tinha sido castigado por seis dias

O Tribunal Central Administrativo do Sul deu esta sexta-feira provimento à providência cautelar que Bruno de Carvalho interpôs, após ter sido castigado por seis dias pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) na sequência de insultos dirigidos ao presidente do Sp. Braga, António Salvador.

O líder do Sporting poderá então sentar-se no banco durante o dérbi deste sábado com o Benfica (20.30), no Estádio José Alvalade.

"A minha primeira decisão foi ir para o banco, mas o meu advogado fez-me uma pergunta que acho muito pertinente; perguntou-me se preferia mostrar a minha indignação indo para o banco, e nesse caso, independentemente de ter a certeza que o castigo de seis dias me seria retirado, a pessoa em questão [ndr. José Manuel Meirim] me poderia dar outra suspensão, ou se por outro lado prefiro ver o jogo calmamente, apreciar a vitória e mostrar a minha indignação vencendo o processo no tribunal a este senhor. A minha opção é não ir para o banco. Não quero dar essa alegria, quero mostrar a minha indignação ao ganhar este processo cível e mostrar que estas pessoas não merecem estar no futebol. Qual é a razão para estas pessoas fazerem bullying? É bullying puro e não sei se é uma forma inversa de amor. Já vão 315 dias de castigo que cumpri, sofridos, e que agora foram retirados. E agora esta coisa... Estou no banco, gosto de ali estar, gosto de observar os pormenores mas não sou uma opção para entrar. Se fosse opção para entrar faria falta, assim é só uma pena", tinha afirmado esta quinta-feira Bruno de Carvalho na Sporting TV.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG