Sporting desmente que Álvaro Sobrinho e Guiné Equatorial tenham entrado com dinheiro

A contratação de Jorge Jesus pelo Sporting não teve investimentos destas entidades, garante o clube.

O Sporting desmentiu hoje as informações de que a contratação de Jorge Jesus foi suportada por um patrocínio oriundo da Guiné Equatorial, bem como pela Holdimo, empresa presidida por Álvaro Sobrinho, que é acionista da SAD leonina.

Num comunicado, o Conselho de Administração do Sporting Clube de Portugal, Futebol - SAD, diz "repudiar de forma veemente todas as notícias hoje publicadas e/ou difundidas dando conta da intervenção de entidades externas ao Clube, nomeadamente de Álvaro Sobrinho e da HOLDIMO (tendo esta uma participação no capital social da Sociedade de 29,9%), de investidores da Guiné Equatorial ou outros, em quaisquer negócios relativos à sua atividade, para além dos naturalmente decorrentes do seu estatuto de acionista".

Num outro comunicado, o Sporting anunciou que "foi acionado o processo de rescisão do contrato de trabalho com o treinador Marco Silva invocando justa causa".

De acordo com os 'leões', "foram dadas indicações expressas aos órgãos competentes para de imediato desenvolverem os necessários procedimentos, tendo hoje, Marco Silva sido informado desta decisão com efeitos imediatos".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG