Leões reagem a comunicado da Doyen

Clube salienta também que irão enviar dados para a CMVM e para os tribunais

O Sporting reagiu esta quarta-feira no seu site oficial ao recente comunicado da Doyen, salientando que o timing destes "não foi inocente", aproveitando também para revelar que irão apresentar "factos" sobre este processo à CMVM e aos tribunais, nomeadamente no que diz respeitos a recentes declarações do dirigente do Benfica Rui Gomes da Silva e ainda do conhecido adepto dos encarnados Jaime Antunes.

Eis o comunicado:

"1 - Violando disposições legais, o Vice-Presidente do Benfica, Rui Gomes da Silva, produziu na segunda-feira, dia 25 de Abril, declarações públicas onde afirmava, nomeadamente, que "as contas do Sporting não estão penhoradas mas estas estão congeladas. O Sporting não terá nenhuma capacidade caso se mantenha a situação", declarações estas que vieram a ser a base de notícias tituladas como "Rui Gomes da Silva diz que Sporting não tem capacidade para pagar à Doyen" (jornal Record) ou "Sporting não tem dinheiro para pagar à Doyen" (Sábado, online) e desafiando o Presidente do Sporting CP a colocar "no Facebook integralmente, sem nenhum corte, o texto que entregou no Tribunal Federal Suíço para justificar a impossibilidade que o Sporting tem para pagar aqueles montantes", referindo-se a um suposto texto do recurso do Sporting CP no "caso Doyen". Tais declarações são susceptíveis de produzir um impacto directo relevante sobre a Sporting SAD e sobre os valores mobiliários por si emitidos, bem como sobre o respectivo preço, constituindo a sua divulgação um ilícito muito grave nos termos do CVM.

2 - No mesmo dia 25 de Abril , Jaime Antunes, figura intermitentemente usada pelo Benfica para veicular posições, afirmou em declarações à Rádio Renascença que "O Sporting vendeu à pressa o Montero para pagar as contas de tesouraria (...) Portanto, que o Sporting tem dificuldades e graves, é uma evidência"

3 - No dia seguinte, 26 de Abril, o jornal Record dá à estampa excertos de um documento que supostamente será o tal recurso a que Gomes da Silva se referia de véspera

4 - Ao final do dia 26 de Abril, e face à tranquilidade do Sporting CP em relação às tentativas de desestabilização acima descritas, decide a Doyen vir a terreno com um comunicado que beneficiando do clima meticulosamente criado e atrás referenciado, tem dois pontos-chave:

4.1 - Não desmente qualquer das afirmações do Presidente do Sporting CP sobre o "caso Doyen" proferidas na AG do passado Domingo, nomeadamente as que dizem respeito à tentativa de ingerência da Doyen na gestão do Clube e as que dizem respeito à forma como o CAS usou as afirmações do Sporting CP e do Manchester United sobre a não inclusão dos salário de Nani no negócio Rojo para conclusões radicalmente opostas às expostas pelos Clubes

4.2 - E acima de tudo, a referência a um caso ainda em Tribunal, constitui uma violação flagrante do segredo de justiça a que estão sujeitas as matérias que possam fazer parte do recurso que o Sporting CP oportunamente apresentou.

5 - Sendo certo que o Sporting CP não entrará em debate público com a Doyen em relação a um litígio que se encontra em fase de recurso e, naturalmente, sujeito a segredo de justiça, o Clube entende, regista e clarifica que o momento em que a Doyen decide provocar publicamente o Sporting CP não é inocente e prende-se,provavelmente, muito mais com o propósito de desviar a atenção de situações financeiras aflitivas de outros emblemas que, aliás, em fase anterior deste mesmo processo se prestaram a testemunhar em abono da Doyen.

6 - A Sporting Clube de Portugal , Futebol SAD, irá apresentar para os efeitos que julgue conveniente e às autoridades competentes, nomeadamente à CMVM e aos tribunais, a factualidade descrita nos pontos anteriores deste Comunicado para que as mesmas ajam em conformidade.

7 - Esta será a única posição pública do Sporting CP sobre mais este "erro de casting" da Doyen, aguardando o Clube com serenidade , absoluta tranquilidade e sem qualquer tentativa de ingerência uma decisão soberana do Tribunal".

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.