Mário Machado candidata-se a líder da Juve Leo

O antigo líder da Frente Nacional, de extrema-direita, quer presidir à maior claque do Sporting

Mário Machado anunciou a sua candidatura à liderança da Juventude Leonina através de um comunicado na rede social Facebook, no qual convida os sócios do clube a estarem presentes na conferência de imprensa que irá promover no sábado à tarde, pelas 15.00 horas, nas instalações do Boa Hora Futebol Clube.

O conhecido elemento ligado a movimentos de extrema-direita e associações de skinheads, que esteve preso durante uma década, até maio de 2017, diz ainda que as suas "convicções ideológicas ficam à porta do estádio de Alvalade."

Este anúncio surge no dia em que ficou a conhecer-se a detenção de Fernando Mendes, antigo líder da claque Juve Leo. Na mesma ação foram detidos outros três suspeitos dos ataques em Alcochete. A Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL) confirmou esta quinta-feira de manhã que os quatro detidos são suspeitos de "comparticipação" nas agressões que tiveram lugar na Academia do Sporting, em Alcochete, a 15 de maio.

De acordo com a PGDL, os factos em causa são "suscetíveis de integrar a prática dos crimes de introdução de lugar vedado ao público, ameaça agravada, ofensa à integridade física qualificada, sequestro, dano com violência, detenção de arma proibida agravada, incêndio florestal, resistência e coação sobre funcionário e terrorismo".

Quanto a Mário Machado - que cumpriu uma pena de 10 anos de prisão devido a crimes de discriminação racial, coação agravada, posse de armas, agressão e ameaça a uma magistrada do Ministério Público -, a sua ligação à Juventude Leonina já é antiga, tendo chegado a liderar o 'Grupo 1143' (em alusão à data da fundação de Portugal), uma fação da claque do Sporting de ideologia extremista neonazi.

Atualmente, essa fação tem pouco peso na atual estrutura diretiva da Juve Leo, liderada por Mustafá. De resto, na semana passada, quando pela primeira vez Mário Machado manifestou a vontade de ter "mais peso" na vida do Sporting, a Juve Leo publicou um comunicado violento contra o ex-líder da Frente Nacional.

No comunicado, a claque frisava que não irá permitir "qualquer tipo de ideologia política" nas bancadas do Estádio de Alvalade, e atacou o líder da extrema direita: "esse Mário Machado, para falar do nome do líder da Juve Leo, tem de lavar a boca com creolina".

[*notícia atualizada às 15.23, com correção do dia da conferência de imprensa de apresentação da candidatura]

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.