Gelson e Coates ficam até 2022 e vão ganhar 1,3 milhões

Extremo português e defesa central uruguaio fecharam ontem a renovação com os leões e dizem-se orgulhosos por continuar

As novelas da renovação de Gelson Martins e Sebastián Coates chegaram ontem ao fim com o anúncio oficial, por parte do Sporting, de novos vínculos para os influentes jogadores. Ambos ficaram agora ligados ao clube de Alvalade até 2022 e com um salário de 1,3 milhões por ano.
O processo da renovação de Gelson Martins, que era o mais mal pago (120 mil euros por ano), já durava há algum tempo. Os leões começaram por duplicar o salário atual e oferecer 225 mil euros por ano, passando depois para 650 mil e finalmente um milhão de euros. Todas as ofertas, contudo, foram recusadas pelo internacional português, que insistia num valor de 1,5 milhões.
O internacional português de 21 anos, que manteve a cláusula de rescisão no valor de 60 milhões de euros, terá também direito a um prémio suplementar de mais 100 mil euros por temporada, mediante alguns objetivos individuais.
A renovação de Sebastián Coates também não foi fácil, sobretudo devido ao salário que o internacional uruguaio tinha no Sunderland, na ordem dos 1,5 milhões por ano. O defesa central não pretendia abdicar desse valor, pois tinha outros clubes interessados, como o Benfica, mas acabou também por ceder, passando agora a ganhar 1,3 milhões, sendo que a sua cláusula de rescisão ficou nos 45 milhões.
Para garantir a contratação do jogador de 26 anos, o Sporting teve também de pagar cinco milhões de euros ao Sunderland, que havia emprestado o defesa por duas temporadas.
Em declarações à Sporting TV, o internacional uruguaio revelou-se satisfeito por este desfecho, agradecendo a confiança dos leões. "Muitas coisas fizeram com que ficasse no Sporting. Fiquei porque o clube é muito grande, tem muita história e pelos adeptos", disse Coates, deixando um recado ao rival Benfica: "A culpa é do Sporting.".
Também Gelson Martins demonstrou todo o seu contentamento por continuar de leão ao peito. "Os melhores do mundo nascem aqui e é aqui que eu vou ficar", salientou o jovem jogador.
Refira-se que, com estes contratos, ambos os jogadores ficam no lote dos mais bem pagos do Sporting, apenas superados por William, Adrien e Rui Patricio, na casa dos 1,5 milhões, e de Bast Dost, o mais bem pago, dois milhões de euros por ano.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG