Entre a convicção de Jesus e o peso negativo da história

Regra dos golos fora pode ser muito útil esta noite, mas o Sporting foi eliminado em quatro das cinco vezes que empatou a zero em casa na 1.ª mão e em 20 das 22 que não venceu

Depois do empate a zero com o Steaua Bucareste em Alvalade, na 1.ª mão do play-off de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões, Jorge Jesus disse que "o Sporting agora tem a vantagem de poder fazer um golo fora que pode dar uma vantagem importante". "Acredito que fazemos um golo lá. Está tudo em aberto, é melhor empatar a zero em casa do que empatar com golos", acrescentou então o treinador leonino, cuja confiança, reforçada ontem na conferência de imprensa em Bucareste (ver texto ao lado), esbarra, contudo, no histórico sportinguista e português nas provas europeias.

Apenas por uma vez, em cinco tentativas, os leões conseguiram superar uma eliminatória uefeira depois de um nulo caseiro. O inédito caso de sucesso remonta ao verão de 2009, quando o conjunto então orientado por Paulo Bento arrancou uma igualdade a um golo na Holanda, já nos derradeiros instantes, diante do Twente, na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões - a equipa seria eliminada, depois, no play-off, pela Fiorentina, após dois empates.

E se os leões têm um aproveitamento de 20% depois de empates a zero em Alvalade, as equipas portuguesas conseguiram seguir em frente em nove ocasiões, entre 24 tentativas (38%), o que também é negativo. Olhando para o outro lado da moeda, o histórico do Steaua após um 0-0 fora na 1.ª mão, a perspetiva também não é a mais animadora: apenas por uma vez os romenos não seguiram em frente.

Ou seja, se por um lado é verdade que depois de um nulo em casa há mais resultados que servem ao visitante do que ao visitado na 2.ª mão - mais precisamente os empates com golos -, o fator casa tem conseguido ser mais influente para o desfecho de uma eliminatória. Tanto assim é que, das 22 vezes em que o Sporting não venceu em casa na 1.ª mão, apenas em duas delas conseguiu o apuramento para a fase seguinte (ver quadro), o que se traduz num aproveitamento de apenas 9%.

Vidigal confia no apuramento

Campeão nacional pelo Sporting em 1999-00, e com mais de duas dezenas de jogos nas competições europeias no currículo, Luís Vidigal considera que o empate diante do Steaua Bucareste na primeira mão foi um "bom resultado". "É bom porque não é mau, mas não é o melhor. Acredito que o Sporting tem condições para fazer golos em Bucareste", afirmou o antigo médio ao DN.

Quinze vezes internacional português, o ex-centrocampista confia na solidez defensiva dos verde e brancos. "A verdade é que nos jogos a sério a equipa ainda não sofreu golos, o que poderá ser um sinal de força. Todos sabemos que Jorge Jesus trabalha bem defensivamente e, a partir daí, poderá construir um bom resultado", frisou o antigo jogador de Elvas, Estoril, Nápoles, Livorno, Udinese e Estrela da Amadora.

Conhecedor dos palcos europeus, Vidigal diz que no Leste do continente os "ambientes nos estádios são sempre difíceis", mas lembra que os jogadores do Steaua também sentiram na pele uma atmosfera adversa em Alvalade. "Não é por aí que o Sporting estará fragilizado. Acho que o Sporting tem todas as considerações para seguir em frente", acrescentou o antigo futebolista e diretor sportinguista, que até já eliminou o Sporting numa pré-eliminatória da Champions, em 2005, pela Udinese.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG