"Críticas são exageradas, há jogadores de topo na defesa"

Anderson Polga continua atento à realidade da sua antiga equipa e acredita numa época de sucesso

Em cinco particulares de pré-temporada o Sporting venceu apenas dois, contra a equipa B e o modesto Nyonnais, da Suíça. Depois perdeu diante de Mónaco, Zenit e PSV. Pior do que as derrotas foram mesmo os golos sofridos: 15 em cinco jogos, 13 dos quais contra as equipas mais competitivas. Haverá motivos para alarme? Anderson Polga, antigo internacional brasileiro e ex-jogador do Sporting, diz que não, salientando mesmo que nem será preciso ir ao mercado para resolver este aparente problema defensivo leonino.

"Vi alguns jogos do Sporting e não vejo motivos para tantas preocupações. É o início de temporada. É lógico que não é bom sofrer assim tantos golos, mas o treinador está a ver novos jogadores, a testar novas soluções. Não vejo mesmo razões para tantas preocupações", começou por dizer Anderson Polga ao DN, antigo defesa central, descartando a necessidade de o Sporting ter de recorrer ao mercado no que a reforços para a defesa diz respeito. "As críticas são exageradas, há jogadores de topo na defesa. Se o Sporting não marcar em três jogos precisam de contratar um avançado? Tiveram um grande desempenho na época passada e tudo vai entrar dentro da normalidade. Uma equipa não deixa de prestar de uma semana para a outra. Os adeptos precisam de ter calma, Jorge Jesus sabe o que faz. Tenho a certeza de que a equipa vai voltar a fazer uma grande temporada", disse o brasileiro.

Pelo mesmo tom afina Beto, outro ex-defesa do Sporting. O antigo campeãotambém não vê motivos para alarme. "Ninguém gosta de perder, mas a pré-temporada é mesmo isto. É uma altura de se realizarem testes e é isso que Jorge Jesus tem feito, tem visto novos jogadores e a sua equipa está ainda à procura da forma ideal. Não vejo qualquer motivo para alarme", disse o ex-jogador leonino e da seleção portuguesa, referindo que com a chegada dos internacionais portugueses, como Rui Patrício, William Carvalho, Adrien e João Mário tudo será diferente. "São jogadores muito importantes, que serão mais-valias e a mentalidade da equipa e do grupo mudará", disse.

Por sua vez Rogério Alves, ex-dirigente e adepto leonino, não gosta de ver o seu Sporting perder qualquer tipo de partida, mas continua confiante no futuro da equipa de Jorge Jesus. "Não fiquei agradado com o facto de o Sporting ter perdido, pois nunca gosto que perca. Contudo, este tipo de jogos servem para preparar, para testar, é assim que eu vejo as chamadas pré-temporadas ou jogos de preparação. Não interessa ganhar, mas sim obter o conhecimento sobre os jogadores. Interessa que o treinador perceba com quem conta, com o que pode contar", salientou o advogado, apologista de defrontar equipas mais fortes nestes inícios de época: "Concordo com esta opção , de defrontar equipas do seu nível em detrimento de oponentes teoricamente mais fracos. Assim será mais fácil corrigir o que seja mais evidente. Diante deste tipo de adversários o treinador percebe aquilo que é mais urgente de corrigir."

Jorge Jesus semelhante a 2014/15

Por norma, nas chamadas pré-temporadas, os clubes costumam defrontar equipas bem mais acessíveis numa primeira fase. O Sporting, porém, optou por um nível competitivo mais "sério". Esta, refira-se, não é a primeira vez que Jorge Jesus escolhe este tipo de adversários. Em 2014/2015 fê-lo ao serviço do Benfica, defrontando formações como Marselha, Ajax, Sion, Athletic Bilbao ou Arsenal.

Se em cinco jogos realizados até ao momento na pré-temporada leonina o Sporting venceu apenas dois e perdeu três, nessa temporada na Luz os resultados foram semelhantes. A única diferença foram os golos, pois sob o comando do Benfica a sua equipa tinha dez golos sofridos. No final desse mesmo ano, diga-se, os encarnados acabaram por conquistar o título nacional.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG