Até junho de 2018 leões só pagam 4,5 milhões por Bruno Fernandes

Prazos de pagamento estabelecidos suavizam a aquisição do médio. No deve e haver desta época, Sporting tem a receber mais 30 milhões do que tem a liquidar em transferências

Muitas contas têm sido feitas em relação às compras e vendas dos três grandes - os clubes em Portugal que movimentam mais dinheiro em transferências. E, inclusivamente, já foi dito que o Sporting tinha tido um lucro mínimo entre entradas e saídas. Contudo, os prazos de pagamento desmentem linearmente a forma como essa contabilidade tem sido feita.

Os leões foram os primeiros a divulgar o relatório e contas relativo à época 2016-2017. Como a época se iniciou oficialmente a 1 de julho, não se sabe se alguns dos valores já foram liquidados. Contudo, a 30 de junho estava previsto que o Sporting recebesse até à mesma data do próximo ano 56,559 milhões de euros referentes a saídas de futebolistas. Mas que, no mesmo período, tenha de libertar 27,447 milhões de euros para fazer face à aquisição de futebolistas - não só relativos a esta época.

Por exemplo, no caso de Bruno Fernandes, que foi contratado recentemente por 8,5 milhões de euros, o que estava contemplado a 30 de junho era que o Sporting no atual exercício tivesse de pagar 4,5 milhões de euros à Sampdoria. Após 30 de junho de 2018, o Sporting tem de saldar mais quatro milhões de euros à Sampdoria. Contudo, no relatório não se fica a saber qual é o prazo estipulado para cumprir essa obrigação - pode ser no ano seguinte como mais estendido no tempo.

Também Bas Dost, contratado há um ano por 11 milhões, ainda não estava totalmente pago a 30 de junho. O Wolfsburgo tinha a receber nessa data seis milhões de euros, o que até já pode ter acontecido. Ou seja, até esse momento o Sporting tinha desembolsado 5,85 milhões de euros pelo goleador.

No documento existe também uma dívida ao Sunderland, presumivelmente relacionada com o uruguaio Coates, no valor de 4,48 milhões de euros.

Em sentido inverso, a 30 de junho o Inter de Milão tinha de depositar na conta bancária dos leões 20 milhões de euros. Não oferece dúvidas que esta verba tem que ver com a saída de João Mário há um ano.

Convém realçar que a compra de Acuña e a venda de Adrien não entram nestas contas, pois ambas as operações foram efetuadas depois de 30 de junho. Por isso, nesse dia o Leicester devia ao Sporting dez milhões de euros. Percebe-se que tem que ver com a transferência de Slimani, também ela ocorrida há um ano.

Sobre Rúben Semedo, que o Sporting anunciou ter vendido por 14 milhões de euros, o Villarreal tinha a pagar no fim de junho 8,5 milhões de euros, o que indicia que pagou 5,5 milhões à cabeça.

Transferido também no final da época passada foi o colombiano Teo Gutiérrez, que regressou ao seu clube de origem, o Junior de Barranquilla. O Sporting divulgou a venda por 1,8 milhões de euros, mas a 30 de junho esse montante estava todo por liquidar.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG