Sp. Braga regressa aos triunfos e agrava crise sadina

Dois golos de Rafa na vitória bracarense por 3-2, em jogo polémico. V.Setúbal não ganha há 13 jornadas

O Sporting de Braga regressou hoje aos triunfos na I Liga portuguesa de futebol, ao bater em casa o Vitória de Setúbal, por 3-2, em jogo da 32.ª e antepenúltima jornada.

Rafa, que marcou por duas vezes (06 e 60) e atingiu os oito golos no campeonato, e Josué, de grande penalidade (62), construíram o triunfo no Estádio Municipal de Braga, onde o intervalo chegou com uma igualdade, depois de Vasco Costa ter marcado para os sadinos (07). A fechar, Costinha ainda reduziu a diferença, de livre direto (80).

Os bracarenses, que na segunda-feira defrontam o Benfica no Estádio da Luz na meia-final da Taça da Liga (sem Ricardo Ferreira e Vukcevic, expulsos hoje), ficam muito perto de garantir o quarto lugar, podendo consegui-lo ainda nesta jornada se o Arouca não vencer em casa o Nacional.

Já o Vitória de Setúbal somou o 13.º jogo sem vencer e continua sem garantir a permanência, podendo ver aproximarem-se adversários diretos nessa luta.

O jogo fica marcado por uma grande penalidade mal assinalada pelo árbitro Sérgio Piscarreta, que considerou mão de Tiago Valente, que saltou da barreira após um livre de Josué, mas a bola embateu na cara do defesa central sadino.

O resultado estava na altura 1-1 e esse segundo golo dos minhotos abalou o Vitória de Setúbal. Oito minutos depois, Rafa sentenciou a partida, fazendo o seu segundo golo, o terceiro da partida.

Nos minutos finais, houve muita confusão e nervosismo, com o Braga a terminar com nove jogadores após o árbitro expulsar Ricardo Ferreira (segundo amarelo) e muita contestação de ambas as equipas à atuação da equipa de arbitragem.

Foi um início de jogo mexido com Wiliam Alves, logo no primeiro minuto, a assustar Marafona após canto da direita e, dois minutos depois, Rafa a rematar cruzado, já dentro da área, também com perigo.

O internacional português voltou à equipa e transformou-a, tendo marcado dois golos e ficado perto de marcar mais um, além de lhe ter pertencido a maior parte dos lances mais perigosos do Sporting de Braga.

Aos seis minutos, inaugurou o marcador: passe longo de Marcelo Goiano e, aproveitando um grande 'buraco' no centro de defesa sadina, Rafa tirou dois adversários do caminho e rematou com força para o fundo da baliza.

Mas no minuto seguinte, Toni Gorupec arrancou um centro perfeito da direita e Vasco Costa, beneficiando da má marcação da defesa bracarense, empatou de cabeça.

Mesmo a jogar sem grande intensidade, e contando com boa oposição dos sadinos, o Braga teve as melhores oportunidades para marcar, com Ricardo a destacar-se na baliza, ao parar os remates de Crislan (17), Josué (19, livre direto) e Rafa (24).

Os 'arsenalistas' chegaram ao segundo golo por Josué, na marcação da já descrita grande penalidade, e ao terceiro novamente por Rafa, que só teve que encostar após uma primeira defesa de Ricardo ao remate do recém-entrado Hassan (60).

Stojiljkovic, com um tiro de primeira, quase fez o quarto golo dos minhotos (76), mas foi o Vitória de Setúbal a reduzir, por Costinha, na conversão de um livre direto em que Marafona parece ter desguarnecido o 'seu' lado (80).

O Setúbal esteve perto do empate aos 88 minutos, quando um desvio de Arnold saiu a rasar o poste após um livre cuja falta esteve na base da expulsão de Vukcevic (segundo amarelo), mas o resultado manteve-se.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG