Sonho da primeira chinesa no Dakar acabou mal

Aos 47 anos, a empresária de sucesso Guo Meiling decidiu levar a sua paixão por ralis ao extremo. Logo na estreia, despistou-se e provocou dez feridos, três em estado grave

O sonho da milionária Guo Meiling, a primeira mulher chinesa a participar no Dakar, durou apenas 6,6 quilómetros. Ia sensivelmente a meio do prólogo de sábado, supostamente uma formalidade para definir os lugares de partida antes de os pilotos se aventurarem pelos desertos sul-americanos, quando perdeu o controlo do seu Mini Cooper, ferindo uma dezena de espectadores - três deles ainda corriam ontem risco de vida.

Meiling sobreviveu ao acidente sem mazelas físicas, mas abandonou a corrida em estado de choque. Afinal, a sua presença na prova rainha do todo-o-terreno mundial era, sobretudo, o concretizar de um sonho de uma entusiasta dos ralis. Aos 47 anos, esta empresária de sucesso na China, já bastante experimentada no automobilismo, decidiu levar a sua paixão ao extremo e viver a experiência do Dakar na primeira pessoa.

Mas é ao volante de uma grande empresa e não de um carro de corrida que Meiling ganha a vida. A asiática é CEO do Century Galaxy Group, empresa sediada em Pequim e especializada no fabrico de equipamento médico de tecnologia avançada.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG