Só "golpe de sorte" poderá fazer sorrir McGregor, dizem experts

Combate entre lutador de MMA e Mayweather tem captado atenção em todo o mundo. Pugilista norte-americano é favorito

É já esta madrugada (a partir da meia-noite, com transmissão na SportTV1) que o pugilista Floyd Mayweather e o lutador de artes marciais mistas (MMA) Conor McGregor vão subir ao ringue para o chamado The Money Fight, o combate de boxe entre duas das principais estrelas de cada modalidade e que tem sido motivo de conversa um pouco por todo o mundo. É raro o jornal ou portal desportivo que não dedique diariamente umas linhas ao duelo que se vai realizar na T-Mobile Arena, em Las Vegas, no estado norte-americano de Nevada.

Portugal não foge à regra, e pelo nosso país também se tem alimentado a ansiedade pela luta. Apesar da expectativa gerada em torno do confronto entre o pugilista 15 vezes campeão mundial ainda invicto (49-0) e o versátil bicampeão mundial em ascensão (21-3), Mayweather goza de um largo favoritismo.

O DN falou com um especialista em cada modalidade e marcou encontro nas instalações do Privilégio Boxing Club, em Póvoa de Santo Adrião, no concelho de Odivelas, onde ambos deram como (quase) certa a vitória do norte-americano. "A nível técnico e atlético, McGregor está bem, mas Mayweather é campeão mundial de boxe há 21 anos. Mayweather é rápido e técnico... não vai dar hipóteses", afirmou o pugilista argentino Rodrigo Arbiza, 27 anos, no boxe desde 2011 e vencedor de uma Taça de Portugal, em 2015. Já o antigo lutador e agora professor de MMA e jiu-jitsu, o brasileiro Sérgio Vita, diz que "qualquer um pode ganhar ou perder, mas Mayweather está em casa. As regras são dele e favorecem-no. E ele é um especialista. McGregor está a tentar a sorte".

Sorte também foi a palavra escolhida por Arbiza para descrever o que eventualmente poderá favorecer o irlandês de 29 anos no interior do ringue. "A chave poderá ser um golpe de sorte por parte de McGregor, com a mão esquerda dele a acertar com força e potência no sítio certo. Mayweather tem 40 anos, temos de ter em consideração que está um pouco mais velho e poderá cair se levar um golpe mais duro. Mas Mayweather é rápido, tem reflexos, é ágil e tem tudo para ganhar, mesmo sem treinar", vincou o atleta da categoria de meio-médio ligeiro (64 kg), que não vai ficar acordado para assistir ao duelo. "Tenho um bebé em casa e sei que Mayweather vai ganhar. Vejo no dia seguinte", justificou, junto a uma estatueta de Mike Tyson que decora o pavilhão.

Irlandês "não tem hipótese"

"Penso que o McGregor terá de estar sempre a fazer pressão, sempre a dar socos. Pode ser que algum faça o Mayweather cair. Mas Mayweather tem muito reflexos. Para mim, é o melhor do mundo. Só tem vitórias e sempre lutou com os melhores, com campeões mundiais. McGregor não tem hipóteses a nível técnico e atlético. A única hipótese é fazer pressão e, como é canhoto, conseguir um golpe de sorte e acertar no queixo. Mas Mayweather lutou com os adversários mais fortes, e os últimos foram muito duros para ele, mas mesmo assim aguentou-se bem. Ele vai lutar como luta sempre, à espera, a picar com a mão esquerda, a esquivar e a responder. É muito defensivo e quando encontrar a primeira falha no oponente, vai responder. Não acredito que vá vencer por KO, mas vai somar pontos", aditou o pugilista, que venceu cerca de 50% das mais de quatro dezenas de combates que disputou.

Visão idêntica tem Vita, treinador na ICON Jiu-Jitsu Team, em São Domingos de Rana, no concelho de Cascais, acerca do que podia ditar uma eventual vitória de McGregor. "Um KO. Por pontos, ele jamais vai ganhar. Deixar Mayweather KO só com um golpe de sorte, não tenho dúvidas. Ele tem 49 vitórias e nunca foi derrotado", reforçou o praticante de MMA desde 1998, 42 anos, detentor de um registo de seis vitórias, um empate e um no contest. "As regras são de Mayweather e ele faz aquilo desde os 5 anos. É natural para ele. O McGregor junta um pouco de cada. Ele é muito bom - são os dois de altíssimo nível - mas vai pisar um terreno que não é o dele. Cada um tem o seu estilo e terá a sua estratégia, mas creio que se o McGregor tentar deixar Mayweather KO, Mayweather é que vai colocar o McGregor KO. McGregor prometeu um KO até ao quarto assalto, o que acho difícil, porque Mayweather é um especialista a defender", acrescentou o antigo aluno da Academia Carlson Gracie, no Rio de Janeiro.

Gostos trocados

O mais natural seria que Rodrigo Arbiza e Sérgio Vita quisessem a vitória dos representantes das respetivas modalidades, mas não parece ser essa a realidade. "Gosto muito do McGregor", começou por dizer o pugilista argentino, que ainda assim acredita que "o melhor do mundo" Mayweather "não vai dar hipóteses" e "vai ganhar facilmente". "Se vou torcer por McGregor? Por acaso não. Gosto muito do estilo de Mayweather, apesar de ser muito tagarela. Mas McGregor é muito mais tagarela e sou muito apologista do fair play, do que é positivo para dar o exemplo aos jovens. Seria muito bom para o MMA se ganhasse, mas também tenho a noção da realidade: as hipóteses são pequenas", confessou o lutador brasileiro, em Portugal há 15 anos.

Apesar do prognóstico, Vita diz que "a MMA tem tudo a ganhar" e que "já está a ganhar". "Ninguém conhecia a modalidade há 15 anos", vincou, recordando uma derrota do irlandês frente a um aluno seu. "É engraçado porque McGregor esteve num Campeonato Europeu de jiu-jitsu no Casal Vistoso [Lisboa] e perdeu para um aluno meu, Valentin Rossi. É suíço, esteve uns tempos em Portugal a treinar comigo e agora radicou-se na Costa Rica, onde abriu uma academia", contou, sem conseguir precisar a data do duelo.

A aposta clara de ambos em Mayweather só se verifica porque a contenda se vai disputar num ringue, porque se fosse num octógono... "Ainda teria menos hipóteses do que o McGregor tem agora", atirou o brasileiro. "Se Mayweather subir ao octógono, vai levar um pontapé na cabeça e vai dormir ou sofrer uma chave de jiu-jitsu e acabou", acredita o argentino.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG