Um jogo para "afinar a máquina", sem pressão e sem CR7

Portugal defronta hoje a Inglaterra em Wembley, no 2.º jogo de preparação. Fernando Santos agradeceu palavras de Mourinho

Portugal volta hoje a jogar em Wembley (19.45, na TVI, e com Jorge Jesus a comentar), um palco onde há 50 anos Eusébio chorou depois de perder com a Inglaterra (ver fotolegenda), perante 90 mil pessoas. "Não há pressão acrescida e não é um teste. Estes são jogos para afinar a máquina e não testes. O que me interessa é ver se a equipa está a corresponder ao que tem sido trabalhado, se está a evoluir", afirmou Fernando Santos, antes do treino no campo londrino.

A partida é de preparação para o Euro 2016 (a penúltima) e a seleção portuguesa não conta com Cristiano Ronaldo e Pepe. Os dois jogadores do Real Madrid só se juntam à comitiva nacional no domingo, depois de uns dias de descanso a seguir à conquista da Liga dos Campeões, no sábado passado.

"O Cristiano e o Pepe estiveram na final da Liga dos Campeões e era impossível, fisicamente, estarem neste jogo. É algo preparado há três semanas, desde o momento em que soubemos que iam estar na final. Proporcionei a todos cinco ou seis dias de descanso, para se apresentarem bem na competição", explicou o técnico, lembrando que deu estas folgas a todos os jogadores "para aparecerem melhor física e mentalmente". Pois, no entender do engenheiro, "é preciso também uma recuperação mental, para virem frescos de mente e pernas".

Quando questionado sobre a capacidade competitiva da seleção sem o capitão, o selecionador português reconheceu a importância de CR7, mas também a necessidade de saber jogar sem ele. "O Cristiano é uma peça importantíssima para Portugal, como seria para qualquer outra equipa. É o melhor do mundo e será sempre uma peça muito importante. Para Portugal é uma peça fundamental, mas é importante termos também a noção da capacidade dos nossos jogadores. Espero que esteja tudo bem com o Cristiano, que faça sete jogos no Europeu, mas também temos de nos preparar para sermos uma equipa forte com os outros e lutarmos pela vitória", defendeu.

Técnico inglês queria Ronaldo

Já Roy Hodgson não escondeu o desalento pela ausência de Cristiano Ronaldo na partida desta noite. "Quando pensamos em Portugal, pensamos no facto de o Ronaldo ser um jogador muito especial, um talento muito especial. Tem sido uma figura incrivelmente influente em todos os clubes onde jogou e para Portugal também", elogiou o treinador inglês, esperando nesta noite um "teste duro".

Os ingleses foram a única seleção europeia a conseguir uma campanha 100% vitoriosa na fase de qualificação, com dez vitórias em dez jogos. Talvez por isso Fernando Santos os considere candidatos ao título: "A Inglaterra tem jogadores de qualidade, é uma equipa forte e está bem orientada. Parte para o Europeu com a ambição de vencer, é um forte e sério candidato e tem essa ambição de chegar a França e poder vencer, e com todo o mérito."

Roy Hodgson não foi o único a apontar ao título europeu. Fernando Santos também já elevou a fasquia ao assumir a ambição de conquistar o Euro 2016. E contou com o apoio de José Mourinho. "O Zé, toda a gente o conhece, é extremamente ambicioso como eu. É natural que esteja de acordo com as nossas ambições. Não esperava outra coisa dele, pois é extremamente ambicioso e sabe também o valor e potencial da seleção portuguesa. As suas palavras caíram bem, naturalmente, mas era aquilo que esperávamos dele, que é um campeão", disse Fernando Santos.

Mexidas no onze titular

No jogo com a Inglaterra, o selecionador deve fazer alterações ao onze do encontro com a Noruega (3-0, no Dragão). Na defesa, Ricardo Carvalho deverá ser o único a repetir a titularidade, ganhando a companhia de Vieirinha, Bruno Alves e Eliseu, que deverão entrar para os lugares de Cédric, José Fonte e Raphael Guerreiro, respetivamente.

Já no meio-campo, e partindo do princípio de que a aposta no 4x4x2 é para manter, João Moutinho e João Mário parecem ser intocáveis, enquanto William e André Gomes devem dar lugar a Adrien e a Danilo. E com o ataque ainda órfão Ronaldo, Quaresma, Éder, Nani e Rafa vão lutar pelas duas vagas restantes, devendo os dois últimos alinhar desde o início.

Quanto à baliza, o selecionador poderá dar possibilidade a Rui Patrício, que parte para França com o estatuto de titular, ou Eduardo, uma vez que Anthony Lopes jogou frente à Noruega.

Ainda antes de viajar para a França (dia 9), Portugal vai defrontar a Estónia, a 8 de junho, no Estádio da Luz, em Lisboa, no derradeiro teste antes do Euro. Um jogo que terá o novo presidente da FIFA, Gianni Infantino, na bancada a assistir.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG