Cristiano Ronaldo está a dois golos de igualar o mítico Pelé

CR7 tem mais um fator de motivação para a meia-final com o Chile. Se fizer o 13.º bis pela seleção apanha o "rei"

A meia-final da Taça das Confederações poderá ser mágica para Cristiano Ronaldo, que na época que está a terminar não só apareceu sempre nos grandes momentos do Real Madrid como também o tem feito na seleção nacional. Agora, se marcar dois golos ao Chile, na Kazan Arena, o capitão de Portugal vai apanhar Pelé, igualando o número de golos que o lendário futebolista brasileiro marcou ao serviço da seleção canarinha.

No total, foram 77 remates certeiros da estrela brasileira com a camisola amarela do escrete entre 1957 e 1971, algo que agora pode ser igualado por CR7, que assim se tornaria o quinto melhor goleador de sempre em seleções nacionais, passando a ter à frente apenas o iraquiano Hussein Saeed (78), o zambiano Chitalu (79), o japonês Kunishige Kamamoto (80), o húngaro Ferenc Puskas (84) e o "inatingível" iraniano Ali Daei (109).

Pelé e Cristiano Ronaldo são velhos conhecidos, pois já em 2014 participaram juntos num anúncio da companhia de aviação Emirates e a antiga estrela brasileira até já o elogiou em diversas entrevistas, uma das últimas antes do Euro 2016, ao diário britânico Daily Mail, na qual se confessou "admirador" das qualidades do português, deixando a certeza de que se tivesse de fazer uma seleção "Ronaldo seria o primeiro jogador que escolheria".

O relvado da Kazan Arena foi o que marcou a estreia de Portugal na Taça das Confederações - empate 2-2 com o México -, no qual CR7 ficou em branco, pelo que está "em dívida" para com os seus fãs da capital do Tartaristão. E, bem vistas as coisas, dois golos num jogo não é nada de anormal para a estrela portuguesa, que já bisou por 12 vezes com a camisola das quinas e só nesta época 2016-17, ao serviço do Real Madrid, marcou mais de um golo em 11 jogos, tendo dois deles sido na final da Liga dos Campeões com a Juventus.

Do lado dos chilenos também estará em campo o melhor marcador de sempre de la roja, Alexis Sánchez, o avançado do Arsenal que no jogo da segunda jornada desta Taça das Confederações, diante da Alemanha, fez o seu 38.º golo e deixou para trás o antigo ponta-de-lança Marcelo Salas.

Há ainda outro dado que pode deixar o melhor marcador de sempre da seleção nacional confiante e que se prende com o provável titular da baliza do Chile no jogo de amanhã: Claudio Bravo, atual guarda-redes do Manchester City, que tem sido uma autêntica vítima de CR7. Isto porque, nos dez jogos em que ambos se defrontaram, Ronaldo faturou por 12 vezes, três delas quando o chileno de 34 anos defendia as redes do Barcelona e nove durante as épocas em que esteve na Real Sociedad.

Mas Bravo, que não jogou nas duas primeiras partidas da Taça das Confederações, também não tem boas recordações de outros dois portugueses: Pizzi, que lhe marcou um golo quando o médio português estava no Deportivo da Corunha, e ainda Pepe, que o bateu por duas vezes. Contudo, o central da equipa das quinas está castigado e não vai poder reencontrar o experiente guarda-redes, que assim tem menos uma dor de cabeça.

Corrida pelo prémio de goleador

Cristiano Ronaldo aumentou na Rússia o seu recorde mundial de fases finais de grandes competições consecutivas a marcar, contabilizando já oito. Ou seja, em todas as que participou, deixando a já considerável distância os alemães Jürgan Klinsmann e Miroslav Klose, que foram ultrapassados no Euro 2016, em que Portugal se sagrou campeão europeu.

Contudo, há uma distinção que ainda falta a CR7, a de ser o melhor marcador da fase final de uma grande competição, algo em que estará empenhado para que suceda agora na Rússia, pois leva dois golos marcados, tantos quantos os contabilizados pelos alemães Timo Werner e Lars Stindl. A estrela portuguesa tem agora dois jogos para ganhar vantagem sobre os germânicos, que na quinta-feira discutem o acesso à final, em Sochi, diante do México.

Fernando Santos deverá estar à espera de um Ronaldo ao seu melhor nível, agora que vão começar os jogos a eliminar. O selecionador nacional testou ontem, ainda em São Petersburgo, no Estádio Turbostroidel, a estratégia para o duelo com os chilenos, tendo José Fonte levado alguma vantagem sobre Luís Neto para render Pepe, que vai cumprir castigo.

Há ainda dúvidas quanto à utilização de Bernardo Silva, que ontem voltou a não treinar devido a uma lesão no pé direito, enquanto o lateral esquerdo Raphaël Guerreiro é praticamente carta fora do baralho para a meia-final.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG